Maneiras de deixar alguém (sem jamais deixar)

après Paul Simon

Se eu fosse deixar alguém, 
arrancava a pessoa como esparadrapo:
o esparadrapo levaria um pedaço da pele
e a cicatriz ficaria lá, para sempre.

“É tudo uma questão de abordagem,
dizer exatamente o que você está pensando”

Sem dizer o que realmente importa.
Enterrando a verdade na garganta.

Se eu fosse deixar alguém,
faria uma lista de motivos
e uma tese explicando porquê.
Guardaria os poemas, no entanto…

“É tudo uma questão lógica 
Pesar as consequências, avaliar os riscos”

Ignorando cinicamente a verdade: 
uma decisão não muda nada.

Se eu fosse deixar alguém, 
eu simplesmente deixava,
pois deixar nunca muda nada.

Deixar é só um detalhe, 
um marco cronológico 
da história que fica.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Gisele do Nascimento’s story.