Deserto do Atacama: dicas essenciais para uma viagem tranquila e inesquecível!

Confesso que já comecei a escrever esse post de várias maneiras, começo a escrever as frases e apago, nunca fica bom. Talvez por ser muito difícil descrever um lugar lindo, surreal, mágico, encantador, surpreendente e todos os adjetivos que tiver estocados em minha cabeça. O Deserto do Atacama é um verdadeiro sonho. Vou dividir o relato da minha viagem em alguns posts para poder contar do jeito que eu gosto: com muitos detalhes e bem pessoal, estilo diário mesmo. Se preparem pois eu escrevo muito! :P

[caption id=”attachment_1050" align=”aligncenter” width=”3264"]

IMG_5013

Cordilheira dos Andes vista do alto! ❤[/caption]

Como chegar?

viagem para o deserto do atacama dicas e como chegar

O Deserto do Atacama fica localizado no norte do Chile. Partimos de Goiânia em direção a São Paulo. Do aeroporto de Guarulhos embarcamos para Santiago, depois teve mais um vôo para Calama. Chegando lá, pegamos um transfer de cerca de uma hora e pouco até finalmente chegar em San Pedro do Atacama, uma cidadezinha rústica e bem fofa.

Lembrando que você não precisa de passaporte para viajar para lá, basta ter a carteira de identidade. Um detalhe: o RG tem que ser recente, não pode passar de 10 anos, ou você corre o risco de nem entrar no país. Essa informação é superimportante e eu só fiquei sabendo quando um funcionário do aeroporto de Goiânia me avisou que talvez eu não poderia embarcar. O meu documento tinha feito 11 anos! Eu que estava morrendo de sono por ter acordado de madrugada despertei na hora. Não sei se chorava, se segurava pra não ter uma tonteira. Bom, o funcionário disse que a foto estava bem parecida, que talvez eu não teria problema, mas era dever dele avisar. Chegando em São Paulo, a moça da TAM fez um novo terrorismo, dizendo que ia deixar eu embarcar, mas eu poderia ser deportada. Foram quatro horas de vôo nervosa e com o coração acelerado. Chegando no Chile, pegaram meu documento e nem olharam para minha cara, passei sem nenhum problema! Ufa! Primeira grande sorte a caminho do deserto.

O nosso vôo foi pela Latam (leia-se TAM), não peguei uma promoção incrível, mas consegui um preço menor que o normal. É uma viagem cansativa mais pelas horas que a gente fica esperando no aeroporto. O vôo de São Paulo para Santiago dura cerca de 4 horas e de Santiago para Calama, menos de 2 horas. Escolhemos a Transvip para fazer o nosso transfer e só tenho elogios! Reservei pela internet, mas não recebi e-mail de confirmação, fiquei bem preocupada. Mas assim que chegamos no aeroporto de Calama já contratamos o serviço no próprio guichê e não esperamos nada para entrar na van. O ideal é já fechar ida e volta para conseguir um desconto. Pagamos no total 40.000 pesos chilenos para duas pessoas, o que gira em torno de R$ 205,00. Entramos na van, o motorista ligou o som e começou a tocar The Doors. Ainda perguntou se estava tudo ok com a gente. Como não estaria? ❤ Na volta, ficamos com medo de atraso para chegar em Calama e pegar o nosso vôo, mas foram pontualíssimos. Já na volta tivemos uma belíssima seleção de músicas cafonas e românticas dos anos 80 e 90.

Tem a opção de pegar um táxi do aeroporto e partir para a rodoviária para pegar um ônibus para San Pedro. Sai mais barato, mas não acho que compensa. Você já chega tão destruído que quer o máximo possível de conforto. Sem contar que o transfer te deixa na porta do hotel e na volta também te busca no mesmo lugar. Acho cansativo demais ficar andando pra lá e pra cá com malas pesadas em uma cidade com chão de terra batida.

San Pedro de Atacama

chegando em san pedro de atacama chile

É uma pequena cidade no deserto que tem toda estrutura necessária para receber os turistas. É simples, aconchegante e charmosa. Os goianos com certeza vão se lembrar de Pirenópolis por conta das lanternas coloniais e fachadas fofas, só que a cidade chilena é mais rústica e com mais poeira!

san pedro de atacama chile
charme flores san pedro de atacama chle

Uma curiosidade fofinha, a cidade tem o carinhoso apelido de “San Perrro de Atacama”, pois tem muitos cães espalhados pela cidade. É bem comum vê-los todos enroladinhos dormindo no fim de tarde ou brincando na rua. São todos bem gordinhos, bem cuidados e lindos. Reparei que é costume de alguns estabelecimentos colocar vasilhas de água e comida para os que passarem por lá. Mas infelizmente eles não pertencem a ninguém, então são bem carentes. Se você começar a dar atenção, eles vão pedir carinho mesmo, esfregando a carinha na nossa perna ou deitando com a barriga para cima. É de cortar o coração e morrer de fofura. Ah, um detalhe que ninguém fala: nas ruas sempre tem uma ou outra caca de cachorro, então cuidado para não sujar os sapatos.

[caption id=”attachment_1058" align=”aligncenter” width=”900"]

cachorros san pedro de atacama

Desce daí, menino![/caption]

[caption id=”attachment_1057" align=”aligncenter” width=”900"]

cachorro dormindo san pedro de atacama

Soninho gostoso! zZzzZz[/caption]

A rua principal de San Pedro de Atacama se chama Caracoles, por lá que você vai encontrar os principais restaurantes, bares, cafés, agências de turismo e até alguns hostels. Tem uma praça bem charmosa no centro da cidadezinha, vale a pena passar um pouquinho por lá. Uma coisa que achei bem legal é a facilidade de encontrar pequenos mercados que oferecem de tudo um pouco. Até verduras e frutas bem bonitas e fresquinhas! Comprei um cacho de uva para levar para um passeio, saiu bem baratinho e estava muito docinha. Algumas agências de turismo não incluem lanche nos passeios, então é uma boa alternativa passar nos mercadinhos para comprar bolachinhas, castanhas e frutas.

Bem no centro da cidade tem uma farmácia bem completa, ideal para quem esqueceu de levar protetor solar, cremes e remédios para qualquer emergência. Ah, lá por perto também tem várias casas de câmbio, caso você tenha esquecido de trocar no aeroporto de Santiago.

[gallery ids=”1064,1063,1059" type=”circle”]

Hospedagem

Em geral, San Pedro não é uma cidade assim tão baratinha para encontrar hospedagem. Foi sofrível encontrar um bom custo-benefício no Booking. Era incrível como um quarto com banheiro próprio chegava a ser três vezes mais caro que um quarto com banheiro compartilhado, talvez por que isso não era tão comum por lá em hotéis/hostels mais simples. Optamos por um quarto só nosso, mas com banheiro compartilhado. Foi a primeira e última vez que encaramos essa experiência, pelo menos em lugares em que a noite é fria. :P É aquela coisa, é melhor economizar em gastos fúteis do dia a dia e escolher um lugar mais confortável para ficar, já que os passeios no deserto são bem cansativos.

A Latam cancelou os vôos a poucos dias da viagem, tivemos que mudar os horários. Em resumo, chegamos uma noite antes do planejado em San Pedro do Atacama. Reservei no Booking dias antes um hostel só para passar a noite. Esse hostel eu recomendo! Queria ter ficado todos os dias nele, apesar da questão do banheiro compartilhado. Atendimento bem amigo, lugar limpíssimo, instalações novinhas e camas fofinhas, o único defeito era ser um pouco mais longe do centro da cidade. Mas para quem se interessar, o nome é Hostel Puripica.

hostal puripica san pedro de atacama dicas de hospedagem

Tive problemas com o hostel que eu reservei para ficar o restante dos dias. Os donos do Hostel Talar tiveram um problema de família em Santiago e deixaram o local fechado. Não fomos avisados! Pensa no sufoco e na raiva? Com a ajuda de uma mulher da pequena mercearia que tinha ao lado, descobrimos que os hóspedes desse lugar seriam distribuídos em outros hostels próximos. Fomos para o Vicuña, que tinha um atendimento bem amigável e solícito, mas o lugar era antigo e extremamente simples. Mas pra gente foi ok, era melhor que ficar sem lugar nenhum. Ainda encontramos vários brasileiros por lá para bater papo. Mas acho que para uma próxima vez, rola procurar um lugar melhorzinho.

Duas coisas que eu recomendo: olhar com mais antecedência para garantir uma hospedagem confortável e com um bom custo-benefício. Quando eu fui olhar (cerca de dois meses antes), vários lugares bem avaliados pelo Booking já estavam esgotados. A outra dica é escolher um lugar mais próximo do centro da cidade. O nosso hostel era uns 15 minutos de caminhada, pensamos que seria tranquilo. Mas você realmente fica muito cansado dos passeios. Mas tudo vale como experiência.

E vale lembrar que tem desde lugares mais simples até verdadeiros hotéis de luxo, a exemplo do Tierra Atacama, que me chamou muita atenção pelos comentários no Tripadvisor. Meu Deus, eu preciso ser rica! haha Os quartos têm vista para o nascer do sol, você toma banho de piscina com a visão para as montanhas e o vulcão Lincancabur, desfruta de uma boa gastronomia e spa para relaxar. O hotel cuida de tudo: transfer do aeroporto para a cidade, todas as refeições e passeios, você não tem que se preocupar com nada. Mas o valor é beeem salgadinho. Aiai, quem sabe em uma próxima…

O que levar?

Eu nunca montei uma mala tão eclética na minha vida! Tinha desde biquíni até casaco para frio intenso. Fomos em maio (outono), então pegamos uma temperatura mais baixa e não sofremos com o calorão, em alguns passeios a temperatura foi abaixo de 0º. Mas em geral, pegamos de 15º a 20º durante o dia e 10º a 4º durante a noite. O que eu recomendo levar:

  • Roupas de frio: vá preparado mesmo, pois não é brincadeira! Se você não sabe nem por onde começar, vá na Decathlon e seja feliz. Na loja eles explicam direitinho o esquema da primeira, segunda e terceira camada de roupa que você deve usar. Mas não vou mentir, usei cinco camadas na parte de cima e três na parte de baixo pois sou muito friorenta. Passeio frio apenas nas mãos e pés, usei luvas bem grossas e meias de lã, mas as extremidades parecem que não esquentam nunca! Mas dá pra suportar.
  • Roupas de banho: siiim! Em alguns passeios você poderá entrar nas lagoas e uma roupa de banho é essencial. Ah, uma dica legal é levar uma toalha especial, aquelas que absorvem mais e secam rápido. Na Decatlon tem! Além de ocupar bem menos espaço na mala, você seca mais rápido com ela. Ao sair da água você passa um pouco de frio por causa da temperatura de fora.
  • Roupas de manga longa: eu sou muito branquinha, então fiquei pouco tempo com os braços e pernas de fora para não queimar do sol. Sempre usava legging, calça de brim com elastano (que são mais confortáveis que jeans) ou aquela clássica calça de elástico da Adidas (amor eterno! ❤). Levei muitas camisetas, mas sempre jogava uma jaqueta jeans por cima ou alguma blusa fininha de manga longa. Na Hering costuma ter várias delas.
  • Protetor solar: pegue o fator maior que conseguir, pois o sol no deserto é realmente mais forte. Digamos que a gente teve sorte pois pegamos tempo nublado quase todos os dias. Em spray é o mais recomendado, pois é fácil de passar. Em alguns passeios com muito sol precisa passar toda hora.
  • Cacau para os lábios: além do cacau, levei um lipbalm da Granado que salvou minha vida. Não deixava os lábios ressecarem. No deserto é muito seco!
  • Sorine: o nariz fica bem ruim por causa da baixa umidade. Sabe quando você está respirando e sente arder? Então, o Sorine dá uma aliviada.
  • Muito hidratante para o rosto e corpo: é sempre bom usar após o banho para recuperar a pele. No tempo mais frio a gente costuma tomar banho na água bem quente, que resseca ainda mais a pele. Imagina a beleza que fica, né. Então hidratar a pele nunca é demais. Os meus foram todos da Granado, eles deram conta do recado. ❤
  • Condicionador sem enxágue: a poeira e o sal deixam o cabelo bem duro (mas nas fotos eles ficam lindos, não se preocupem! :P). Usei o da Aussie e ajudou bastante a deixar meu cabelo hidratado por mais tempo.
  • Mochila: leve uma mochila pequena para te acompanhar nos passeios, não pode ser muito pesada para não cansar. É ideal para levar água (muita água), castanhas ou alguma barrinha de cereal para dar energia, documentos e afins.
  • Lenço umedecido: é sempre bom ter em mãos. Em um passeio bem frio, a água do banheiro para lavar as mãos era muuuito gelada, insuportável! Então o lenço foi uma excelente saída para limpar as mãos.
  • Chapéu ou bonés: para se proteger do sol! No caso do chapéu, ainda ajuda a deixar o seu visual ainda mais estiloso. Em passeios frios, leve gorros de lã, de preferência os que tampam as orelhas.
  • Tênis ou botas de trilha: a melhor opção mesmo são as botas de trilha, protegem os pés, são mais resistentes e até mais fáceis de lavar do que tênis, já que elas foram feitas mesmo para aventuras. Eu viajei apenas com essa bota e um chinelo, nada mais! Claro que arrependi, encarei o aeroporto na volta com a bota toda empoeirada, mas economizei um belo espaço na mala. Não leve salto, você não vai precisar!
  • Óculos de sol: é básico, não esqueça! Se você tiver um que seja polarizado, é melhor ainda pois deixam as vistas bem descansadas e as paisagens parecem ficar mais bonitas.
  • Câmeras: um lugar maravilhoso como o deserto do Atacama tem que ser registrado. Claro que a maior parte do tempo você vai usar para aproveitar o passeio, mas tirar uns 5 minutos para registrar tanta beleza não faz mal a ninguém. Fotos de celulares nunca pegam uma resolução tão boa, principalmente quando você quer dar zoom. Em algumas paisagens você vai querer fazer isso para pegar algum detalhe. Então leve câmera para registrar tudo. Vale também levar em consideração o peso, pois pode deixar o passeio cansativo. Em alguns casos, é melhor levar mesmo a câmera esportiva (GoPro e afins). Na falta delas, o celular também quebra o galho. É melhor do que nada!

Otras cositas más:

Por causa da altitude, muitos podem passar mal ao chegar no deserto com dor de cabeça, enjoo e tontura. O pessoal de lá recomenda mastigar folha de coca ou tomar um chá. É bem popular e fácil de encontrar na cidade. Tive muita sorte de não ter tido nenhum desses sintomas. Mas como cada organismo é diferente, é bom ficar em alerta.

Quando você contrata um pacote em agências de turismo, geralmente o seguro da viagem já é incluso. Mas quando a viagem é feita por conta própria, é essencial fechar um seguro por fora para se precaver de qualquer problema. Não fica caro e você vai ter uma tranquilidade a mais, ainda mais em uma viagem que é um pouco mais aventureira do que o normal.

O gosto da água em San Pedro de Atacama é um pouco diferente do que estamos acostumados no Brasil, é meio salgadinha. A melhor é a Benedictino!

água benedictino san pedro atacama

Bom, acho que já falei demais! Vou encerrar este post por aqui e prometo escrever sobre os passeios com bastante detalhes nos próximos. Também vou escrever sobre alguns passeios dentro da própria cidade mesmo. Até!

Leia também: Dicas para escolher uma boa agência de turismo