Pelo direito de registrar meus momentos!

Quando tudo está bem, o tempo passa sempre tão rápido, que a gente fica tentando arrumar soluções para que a vida passe no ritmo de uma valsa. Uma dessas gambiarras é registrar todos os momentos para poder relembrar deles quando a saudade apertar. Mas aí sempre vem a questão: se eu for parar para fotografar ou filmar o instante para a posteridade, será que de fato vou conseguir aproveitar o presente?

Quando tem algum evento muito importante, pode reparar que sempre vai sair na cobertura uma crítica que milhares de pessoas deixaram de usufruir do que estava acontecendo ali para ficar no celular. Sempre vejo alguém comentando que a festa só é boa se a pessoa não lembrar de pegar o celular para tirar uma foto. Se não postou nada no Instagram é por que curtiu de verdade. É o que muitos dizem…

É fácil seguir um raciocínio pronto. Mas nem tiro um pouco da razão de análises assim, afinal, vivemos em uma época onde existem certos exageros, ostentação e um pouquinho de superficialidade. Mas já parou pra pensar que nem tudo é o que aparenta ser? Tem momentos tão felizes e intensos que pra muitos precisa ganhar uma extensão, precisa ser registrado pra ser relembrado depois. Será que o minutinho reservado para fazer uma foto ou um vídeo vai estragar mesmo o momento?

Acredito que tudo é questão de equilíbrio e que existem perfis diferentes de pessoas. Eu por exemplo, sou bem nostálgica e não tenho lá a melhor memória do mundo. Então estou sempre com o celular ou a câmera por perto pra poder guardar aquilo que eu julgar interessante. Então é claro que vou defender o meu direito de registar o que eu quiser, quando e da maneira que eu escolher. Se a questão aqui é poupar o tempo para poder aproveitá-lo melhor, muita gente deveria parar de gastar tempo opinando no tempo do outro. Né nom?

E cada um sabe ou deve buscar saber qual é a medida certa. A minha medida certa é pegar ali o celular rapidinho, tirar foto daquela paisagem bonita do lugar que estou conhecendo, ou filmar um trechinho da minha música favorita em um show (só seguro o celular, mas continuo com o olhar fixo para o palco) ou gastar 30 segundos tirando a foto de um pôr-do-sol bonito e aproveitando os outros 20 minutos. Sou bem rápida e não curto exageros!

Em um show, vi um rapaz fazendo várias selfies de costas para o palco, escolhendo, editando a foto e postando na mesma hora. Todo esse processo deve ter durado uns 15 minutos. Ele estava bem na minha frente, não pude deixar de ver. Achei estranho? Achei! Mas não foi eu que banquei o ingresso do moço, então fiquei na minha. Ele não estava me atrapalhando, não estava tampando a visão e nem invadindo o espaço de ninguém. Se estivesse, era outra história…

Então segue a vida. Vou continuar aproveitando AND registrando os meus melhores momentos.
Show your support

Clapping shows how much you appreciated Blog da Nadima’s story.