Como ampliar seu radar musical em 2019

Um despretensioso tutorial para te ajudar a ampliar os horizontes do seu ouvido

Sem dúvidas 2018 foi o ano em que finalmente consegui colocar em prática meu objetivo de conhecer mais músicas. Mas não apenas ouvir mais músicas desconhecidas por mim, também queria e consegui conhecer mais sobre os artistas, sobre movimentos, sobre as músicas que já conhecia e sobre estilos musicais. Em 2019 quero aumentar ainda mais esse conhecimento.

Como fiz isso? Bom, foram 3 métodos básicos que agora passo à você e indico fortemente que utilize em 2018.


Playlists com objetivo

Vou parafrasear a banda portuguesa Toranja e dizer que é importante ser um copo vazio quando se quer conhecer coisas novas. No caso de músicas, recomendo outras coisas vazias: playlists. Crie playlists vazias, mas com objetivos muito claros e específicos.

Eu, por exemplo, criei duas playlists principais para novas músicas. Uma delas, que batizei de “Smooth In The Ship”, para músicas não instrumentais tranquilas, boas para ouvir no trabalho e em atividades que necessitem calma e concentração. Aos poucos essa virou uma playlist apenas de vozes femininas do pop atual, onde aprendi a valorizar cantoras como Lana Del Rey, Lorde, Lily Allen.

A outra playlist vazia que foi preenchida ao longo do ano foi a “Star Hips: a New Hop”, para onde mandava toda e qualquer música que pudesse ser considerada ou confundida com hip-hop e parecesse nova. Lá acabei conhecendo Vince Stanples, Djonga, Killer Mike.

Mas de onde vieram essas músicas para preencher tais playlists?


Recursos Humanos e Algoritmos

Quando o assunto é música é muito comum ficarmos com a segurança e conforto de ouvir o que já conhecemos, por isso é fácil considerar as dicas e sugestões alheias como meros desabafos e elogios de alguém que está curtindo tanto um som que não pode manter a opinião sobre ele para si mesmo. Para não deixar passar nada, é preciso ficar atento.

Igualmente, é comum passar batido pelas playlists geradas automaticamente pelos aplicativos de música baseado em seu gosto musical, ouvindo apenas como curiosidade. Essas playlists são ótimas fontes não apenas de novas músicas, mas novos artistas e novos estilos e movimentos musicais. No Spotify, aplicativo que eu uso, a playlist semanal de Descobertas serviu de fonte para muitas… descobertas mesmo.

Cabe aqui também prestar atenção em filmes, séries e jogos, que sempre tem coisa boa na trilha sonora. Além disso, alguns podcasts tem espaço reservado para indicação de conteúdo, como o Braincast e o Mamilos.

Algo que fiz no fim de 2018 e ainda não tirei proveito efetivo, mas deve reder muito é utilizar a curadoria de alguns escritores aqui do Medium sobre os melhores álbuns, músicas e artistas do ano. É uma ótima maneira não só de conhecer coisas diferentes, mas também atualizadas e evitar o chavão “hoje em dia não tem música boa mais”. Eu mesmo pretendo compartilhar algumas descobertas aqui durante o ano.


Genius, WhoSampled, Bandcamp

Pode parecer óbvio, mas os sites especializados em música são ótimos para conhecer músicas. No caso do Genius, utilizei-o bastante para entender cada trecho de hip-hops que muitas vezes referenciavam outras músicas de outros artistas ou todo um movimento da época em que foi lançada. O WhoSampled tem função semelhante, mas focado na música, na batida. Sabe aquele som bacana da sua música favorita? Pois há boas chances de ter saído de outra música.

Já o Bandcamp é dedicado à artistas independentes, realizando uma ligação direta entre eles e o público. Dá para fugir muito do padrão comercial. No Reddit, alguns subreddits dedicados à música também te permitem sair do convencional e explorar territórios poucos conhecidos


Tem outras dicas para descobrir novas músicas? Pode me mandar. Tudo o que mais quero é sair de 2019 conhecendo o dobro de músicas que conheci até 2018. Não é um sonho impossível este.