É sempre bom um pouco de silêncio nos escritórios

Trabalho colaborativo é ótimo, porém estamos assistindo ao desaparecimento do isolamento saudável e do silêncio nos escritórios.

A boa notícia é que os gestores já perceberam que uma empresa rigidamente hierarquizada e com disciplinas quase militares têm muito a perder, pois as decisões demoram, as inovações têm longo caminho a percorrer, talentos vão embora insatisfeitos sem terem tido a chance de mostrar seu valor, entre outras desvantagens.

Repare na dinâmica das startups (principalmente aquelas de sucesso) e verá que a tendência são escritórios abertos, sem paredes, onde todos podem se ver e se falar sem as formalidades supérfluas das grandes corporações. Bem mais prático!

Quanto mais juntas as pessoas ficam dentro das empresas mais elas interagem entre si. Se isso é bom? Isso é ótimo! Porém não podemos esquecer que a nossa concentração apresenta melhor desempenho num ambiente silencioso. Não à toa, há uma legislação que indica os níveis de ruídos aceitáveis no ambiente de trabalho.

Confira abaixo três consequências da perda do silêncio nos escritórios:

Baixo rendimento

Com tantos brainstorms (quase um furacão), idas e vindas à mesa dos colegas e conversas paralelas é evidente que a produtividade dos funcionários caia. Segundo pesquisa realizada por Gloria Mark, professora da Universidade da Califórnia, um funcionário dedica, em média, apenas 11 minutos contínuos de concentração antes de ser interrompido.

Erros frequentes

Se nós somos distraídos o tempo todo acabamos cometendo erros em nossos trabalhos e, devido à ausência de momentos para concentração e revisão, o pior acontece: não conseguimos identificá-los a tempo e, consequentemente, teremos retrabalhos lá na frente, além da nossa imagem profissional ficar comprometida diante de nossos colegas e superiores.

Mau humor

Em ambientes mais agitados e barulhentos o humor se altera, ficamos ansiosos e tensos. Sem falar na frustração decorrente do nosso baixo desempenho. Em outras palavras, pessoas de bom humor trabalham muito melhor, se estamos numa situação adversa nosso rendimento será afetado.

O ideal é que ao mesmo tempo em que há uma mudança cultural onde a hierarquia deixa de ser tão relevante e regras são ligeiramente afrouxadas, a cultura do “respeite o espaço alheio” venha junto, a fim de equalizar essa evolução que, se bem equilibrada, pode render bons frutos para a competitividade das organizações.


Equipe NewAgent.