Com tudo que está acontecendo hoje me pego em meio a discursos que considero no mínimo insensíveis, paro e penso "será que eles tem razão e essa geração está sensível demais, mimada demais?"

Com o BUM da série 13 Reason Why falar sobre distúrbios mentais e problemas psicológicos se tornou algo corriqueiro nas redes sociais, e em meio a muita consciência (o que eu achei muito bonito) veio um discurso que me deixou muito preocupada:

‘’Essa geração está muito fresca’,’ ‘’Isso é falta de louça/trabalho,’’ ‘’ mentes fracas.’’

Acontece que normalmente esse discurso são de pessoas mais velha, que já possuem filhos, casadas e que estão em outro estágio da vida. Por que isso é preocupante?

É exatamente sobre isso que eu quero debater.

O preocupante é que essa geração que se mostra insensível aos problemas de outras pessoa é a geradora da atual geração, a que educou a "menina depressiva", que tanto eles dizem que tem mente vazia, ou o garoto que não quer sair de casa e se sente dispensável.

Me preocupa a nossa geração (tenho 21 anos) ter sido educada por pessoas insensíveis, pois isso gera em nós e em nosso futuro a constante insensibilização ou o inverso disso.

Essas semanas esse debate foi levantado, e abrir os olhos para isso é algo muito importante: olhar para o outro como uma pessoa que sente, pensar que cada um presente na vida de alguém tem uma pequena responsabilidade. O que parece inicialmente ser pesado de dizer, mas que no fundo é importante de falar e aceitar.

Esses discursos se tornam mais problemáticos quando compartilhado, pois isso diminui a luta do próximo, isso faz com que se torne invisível pessoas com problemas como: depressão, distúrbios alimentares, bullying, entre outros. Pois cria-se uma barreira para que a pessoa que passa por esses problemas não consiga falar. Dificultar isso piora ainda mais os índices que estão cada vez mais se agravando.

Não diminua a luta do próximo

Além de todo o alvoroço sobre o seriado da Netflix, ainda teve notícias espalhadas pela internet do jogo da Baleia-Azul, que não se prolongando muito, é um jogo que veio da Rússia, que era organizado por diversas pessoas (que pelas notícias mais recentes já foram presas) que se chamavam de curadores, que desafiavam jovens a um jogo da morte.

O jogo se tornou viral, de alguma maneira, e já existem casos no Brasil. confirmados ou não, grupos no Facebook se espalharam, copiando a proposta do grupo russo.

A preocupação sobre isso é notória e importante, porém o mesmo discurso que foi usado para debater o seriado, foi utilizado por diversas pessoas sobre o assunto.

Invisibilizar pessoas com distúrbios psicológicos é problemático sim, é necessário debate sim, e pessoas precisam sim se sensibilizar, não apenas com casos próximos e sim com as pessoas.

NEW ORDER

Produção colaborativa de histórias e tendências para instigar você. Somos a primeira e maior publicação brasileira no Medium, vamos juntos?

Deborah conta cada uma

Written by

Acredito que diálogo é a coisa mais importante, então aqui eu dialogo comigo mesma.

NEW ORDER

NEW ORDER

Produção colaborativa de histórias e tendências para instigar você. Somos a primeira e maior publicação brasileira no Medium, vamos juntos?

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade