Photo: Death to the Stock Photo

Afinal WTF eu quero?

Essa é uma daquelas perguntas insistentes que podem nos perseguir a vida toda, em tantas fases dela.

Há aqueles que precisam investigá-la no início de sua carreira criativa, quando se sentem perdidos ou não sabem exatamente por onde começar. Mas mesmo artistas experientes, que colecionam bagagem e realizações, se encontram, em determinados momentos precisando desatar novos nós pra mais uma vez desvendá-la.

A realidade é que todos nós de tempos em tempos nos encontramos perguntando: “- E agora?! Que rumo tomar?” E muitas vezes nos cobramos ou martirizamos por não termos as certezas que gostaríamos de ter. 
Afinal, quanto é o bastante? O quanto de certeza é o suficiente para você tomar decisão e agir?

Você já ouviu falar da Teoria dos Sistemas? Nas minhas pesquisas mutantes por aí (que misturam filosofia e psicologia com física quântica e biologia sem preconceito) acabei me encontrando com ela. E confia em mim, o negócio é interessantíssimo.

Como leiga, entendi que a teoria fala sobre sistemas abertos e fechados. Sistemas Abertos seriam aqueles que interagem com suas próprias partes ou com o ambiente onde estão inseridos da forma que for, gerando inúmeras possibilidades de resultados — positivos, negativos ou neutros. E partindo dessas interações se adaptam a esses resultados. Cada resultado gera uma nova interação. Há sempre energia e movimento envolvidos. E o ciclo não pára, não pára, não pára.

Ps.Te soa familiar? Parece com alguém que você conhece? Quando foi a última vez que você interagiu com algo ou alguma informação? Há quantos minutos ou horas você falou com alguém, pessoalmente ou por alguma rede social?

Para entender como funciona um sistema aberto é só imaginarmos, por exemplo, uma floresta. A partir do resultado das interações entre ela e o clima, ou o homem, é necessário que seu ecossistema continuamente se adapte, se autoregule para que ela continue vivendo, ou sobrevivendo. Ela precisa organizar a todo momento o que é prioridade, o que é urgente, suas necessidades, perdas e danos, as mortes e novos nascimentos, as sacanagens da humanidade (pausa para um monumental: pooooorra, humanidade!!) e assim vai… E a vida vai achando seus caminhos. Se recriando.

Já nos Sistemas Fechados não ocorrem interações. Eles são herméticos.
Não há troca, movimento ou sinergia. Agora, eu te desafio. Pare, feche os olhos por um instante e pense na expressão “sistemas fechados” três vezes, pausadamente.

(…)

E aí? Não dá um negócio ruim? Urrrgh. Que sufocamento. Deusmelivre!! Já diria o sambista: “Liberdade, liberdade! Abre as asas sobre nós…!!”

Então.

E se eu e você falássemos de uma “Teoria das Pessoas Abertas“? 
Por acaso podemos ser criativos de outra forma?

Assim como ocorre com a floresta, a biologia já provou que nosso corpo inteiro, todas as nossa células se renovam a cada sete anos. Você é uma pessoa completamente nova a cada sete anos. Ou seja, não haveria jeito,meio de continuarmos vivos… se não seguíssimos nos transformando.

Por isso eu pergunto: No que diz respeito à nossa mente, alma ou espírito, como você preferir… Podemos continuar sendo nós mesmos, fiéis a nós mesmos sem também, seguirmos mudando? E se mudamos, como responder a uma pergunta PODEROSA como essa apenas uma, duas vezes pela vida, minha gente?

Não dá. Não — dá. Vou falar de novo: NÃO DÁ.

O que importa, meu amigo, minha amiga, é nos manter em movimento! E o que precisamos é respondê-la HOJE!

Com uma honestidade brutal, sobretudo a nós mesmos. Com a essência de quem você é. Pensando na “Pessoa” e no “Artista” que existem em você. No que eles querem. Em quem eles são.

E quando você se permite isso… responder o “O QUÊ”, nós sabemos que outras perguntas tão importantes quanto surgem: “COMO”, “QUANDO”, etc. e outros passos são necessários. Ganhar clareza, tomar decisão (cada escolha uma renúncia, disse alguém).

Aí então, se você quer realmente chegar a algum lugar, é preciso deixar o “Profissional” que existe em você, entrar em cena, criando estratégias de ação que funcionem para VOCÊ! Para que você não fique atirando pra todo lado, perdendo e desperdiçando o recurso mais importante do SEU SISTEMA: A SUA ENERGIA. Enquanto a vida… passa.

Se você é um criativo, eu te digo, você pode fazer WTF você quiser! Venha com a coragem. Nós temos as ferramentas.

Rubia Sibele
Creative Coach
rubia [@] coachingcriativos.com.br
www.coachingcriativos.com.br

Like what you read? Give Coaching Criativos a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.