amar precisa do algo a mais: sintonia

imagem: pinterest

ninguém ama de verdade o outro pelo o que tem na conta bancária ou por que é a pessoa mais popular por onde passa. ninguém ama alguém porque tem tal profissão que se destaca ou porque usa uma bolsa Prada.

você pode se apaixonar. por um belo sorriso em uma foto dita espontânea. por um corpo escultural malhado em academia cinco vezes por semana. por um cabelo milimetricamente arrumado, um look adequadamente combinado. ou por um perfume de uma maravilhosa fragrância de alguém. agora, amar é o algo a mais que vem depois disso, e o superficial, bom, isso uma hora passa.

costumo dizer para as pessoas mais próximas que beleza ou conta bancária não sustentam uma relação por muito tempo, emocionalmente falando. não duram mais que uma boa conversa de mais de três ou seis palavras. beleza? carro do ano? essas coisas se escapam. tornam-se pífias. que depois do oi e do como está e um pouco de blá blá blá a gente se conhece pra valer, e o comprado, o programado, a casca, se esquece, ficam em segundo plano. e o que tem dentro da pessoa é o que realmente vai se priorizando.

é então que a gente começa a pesar na balança. se vale a pena ou não. se é o tal amor ou se vai ser só mais uma tal passageira paixão. se vale a pena o sorriso malicioso e ser do signo de virgem, gêmeos ou escorpião. é quando a gente então começa a se dar conta quem está na nossa frente e pode ser alguém que não vai aguentar os mergulhos da gente. se vale a pena fazer tanta questão. se vale a pena investir em tal relação. se vale a pena insistir no que pode ser só mais uma paixão de verão ou uma distração. que será apenas um furacão. fazer o estrago, sabe, depois a gente ter que correr atrás da nossa recuperação.

amor e paixão são coisas distintas. paixão dura pouco. amar precisa do algo a mais. não que você não possa amar alguém e continuar se apaixonando diariamente por essa pessoa. não é isso. é que amor pede pra ser mais realista. o boleto pago. a pia da cozinha que pinga. a máquina cheia de roupa pra botar pra lavar. a dor nas costas e na lombar. entende? é menos fantasia. menos histórias da carochinha. paixão é aquilo: magia. anestesia. você sem a noção de fato de alguém pra ver se existe a tal da sintonia. amor é o que você não via e agora entende e, se gostar, fica.

a gente ama mesmo é o que o outro é em palavras e em sentimentos. ou ainda, em atitudes pra gente. como trata o porteiro do prédio em que vive. pelo o que luta e como sobrevive. como leva a vida diante de tanto caos do superficial como o ideal. o que a gente ama de verdade é o que faz pra melhorar a sua volta. mesmo que seja um trabalho de formiguinha. mesmo que tenha tanta gente fazendo do mundo algo nada legal.

a gente ama visão de mundo. quem embarca das nossas viagens. a gente ama quando já pulou a etapa da paixão. quando não é mais ilusão. do comportamento contido. quem não monta um personagem. quem se mostra real. a gente ama quem agradou agora sem a venda nos olhos. quem conseguiu chegar na etapa de acalmar as borboletas do nosso estômago. reduzir as pernas bambas. diminuir a distância e colocar disposição.

a gente ama se o outro se importa. é isso. se liga pra saber se melhorou da dor de barriga maldita. se precisou chamar o chaveiro pra desemperrar a porta aquele outro dia. se deixa um bilhete carinhoso em cima da mesa. se marca em memes ou toma umas cevas em comemoração ao seu aniversário, mesmo que você esteja em outra cidade e faz um tempo que não apareça. a gente ama se carrega amor no coração. se sabe levar a vida com menos preocupação. o que carrega de histórias desse mundão. a gente ama o que o outro faz pra melhorar a gente e se já demonstra que vai ter disponibilidade de ser reciprocidade até mesmo quando estiver na terceira idade.

ao final de tudo, a gente não ama do outro a mansão, a roupa, a profissão, o carro ou o corpão. isso é paixão. suor. tesão. sacanagem. talvez admiração. a gente ama mesmo é consideração. quando há consciência dos defeitos e qualidades em questão. quando arde a alma com mais calma, compreensão. quando a gente consegue ter certeza que não será mais uma dessas faltas no parque, no café da tarde ou no colchão.

a gente se apaixona, ainda bem, e precisa, todos os dias, mas amar mesmo a gente sabe que não tem a ver com superficialidade, tem com mergulhos na nossa profundidade da realidade muito mais que a fatura do cartão ou por onde passou as férias de verão. a gente ama mesmo é sintonia, quem pergunta como foi seu dia e por aí vai. de coisas simples. de resto é só paixão, gente. fogo de palha. fogo que não aquece quando a noite chega e esfria.