As opções do eleitor em 2018

Cada candidato é o reflexo de anos de retrocesso educacional brasileiro. Os candidatos se atacam de maneira grotesca. Somos motivo de piada diante de países subdesenvolvidos, o brasileiro vive de memes e ainda se orgulha disso.

Como diria Olavo de Carvalho os idiotas úteis. Os brasileiros estão subdivididos em categorias andando em direção ao precipício sociopolítico. Inevitavelmente!

Os nossos presidenciais se encaixam em direita, esquerda e demagogia. Nós eleitores com capacidade analítica estamos em uma sinuca de bico. A outra parte sem qualquer interesse político que votará sem consciência se chegar a votar, não podemos nós abster e fingir que não temos obrigação para com isso. Mesmo que muito pouco esteja ao nosso alcance, se calar não é a saída.

Quero frisar algo interessante, o horário de debate colocado de madrugada. Isso gera menos alcance, porque querem baixa cobertura?

As transmissões no YouTube são para outra classe, a mídia televisiva alcança lugares em que ainda não há internet, por exemplo. Alcançam aqueles que não possuem tempo para estudar sobre conceitos básicos de política e cidadania, porque estão ocupados demais ganhando o mínimo para a família ter o que comer.

Cabo Daciolo citou a nova ordem mundial, coisa já dita por Lula dezenas de vezes. Ele citou o foro de Sp, questionando Ciro Gomes que negou, mas ele fala do assunto em outros momentos. O único que se destaca com uma proposta diferente é Jair Bolsonaro, mas ele não é o candidato ideal. É o único aceitável. Envolvido em polémicas desde a sua oposição contra o kit gay e discriminação do aborto. As fakeNews sobre Jair são postas a esclarecimento e continuam crescendo.

Um amigo meu compartilhou memes, com falas cortadas de Jair ao questiona-lo ele disse: é mais fácil o Ctrl+c. Esse é o tipo de eleitor que temos, incapazes de gastar tempo e raciocínio lógico para opinar e argumentar com ética.

A verdade está gritando para quem possui o mínimo de interesse em pesquisar, estudar, analisar, conhecer a fundo. No entanto, adolescentes de 16 anos já com a mente “esquerdizada” irão votar em quem? Você irá votar em quem?

Naquele que reflete as suas crenças muito provavelmente. As nossas crenças são moldadas pela mídia, pelo entretenimento, pelo sistema educacional que desde o 6º ano endeusa Karl Marx e o seu sistema socialista.

O socialismo não está morto e já está dentro da política, implantado no sistema e talvez esse seja a causa/efeito para a crise em que fomos colocados. Um estudo profundo sobre o comunismo/socialismo de maneira íntegra mostrará que esse sistema não é o conto de fadas prometido nas séries iniciais.

Sabendo disso, em quem votar?

Naquele que apoia o fortalecimento do estado tornando a gente cada vez mais dependente dele ou naquele que quer o fortalecimento da família. Para que o trabalhador seja independente o suficiente para pagar os seus próprios gastos?

Like what you read? Give Alexsandra Fabre a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.