Como destruir um desempregado com textos positivos sobre empreendedorismo

Ando vendo diversos vídeos e textos batendo na tecla de que a crise é oportunidade, momento de empreender, de mudar, de dar aquela reviravolta na vida que fará com que apareçam unicórnios, arco-íris, nuvens de algodão doce no céu; você sairá na rua cantando e dançando como um musical indie, seu novo negócio embaixo do braço, seu cartão de crédito Nubank, roupas descoladinhas, sorriso no rosto e olhos brilhantes. Exatamente como fazem os comerciais de banco para o público jovem. Mas não é bem assim.

Já li um texto onde dizia que a crise é você, que você é o culpado pela crise porque não criou as suas oportunidades. Isso é tão cruel. Nem todos são empreendedores, nem todos querem empreender, nem todos tem dinheiro ou sabem o que fazer. Uma crise com mais de 11 milhões de desempregados, que continua fechando comércio e fábricas, desempregando quase 300 pessoas por hora não é uma oportunidade para todos. Poucos vão conseguir abrir um novo negócio que veio de uma ideia genial, uma franquia ou o seu próprio carro de food truck.

Pessoas tem necessidades e desejos diferentes, desmerecer quem não empreende ou quem acaba se afundando na crise é cruel e infantil. Infantil pois não considera uma estrutura familiar com contas, dívidas e necessidades, ou a falência de uma empresa acompanhada de processos trabalhistas e tributários. Em um país onde a educação é tratada com descaso, falta instrução e preparação para superar um momento de recessão econômica. Aliás, quem está preparado para superar um momento tão crítico como o que estamos passando?

Milhões de pessoas não irão empreender, o dinheiro acaba e o desespero bate. Não tem emprego para todos. E agora?

No dia 30 de Abril deste ano, o Jornal Hoje publicou uma matéria sobre o aumento da procura por atendimento psicológico no país por conta da crise. Os psicólogos ajudam mostrando possibilidades, o lado positivo da situação e tentam resgatar a autoestima dos pacientes.

Não existe atendimento psicológico público para tantas pessoas, nem possibilidade de que todos os afetados pela crise econômica possam pagar em torno de trezentos reais por uma hora de terapia. Os textos e vídeos dizendo que você é um fracassado por não criar a sua oportunidade multiplicam-se nas redes sociais. O ser humano adora se sentir superior apontando a desgraça alheia. A publicidade mete o dedo na sua ferida para vender cursos e sonhos.

Enquanto o país afunda na maior recessão da história, o governo tenta salvar sua pele. No escasso mercado de trabalho, multiplicam-se o número de vagas de estágio com exigências de um profissional sênior. Profissionais freelancer aceitam propostas de trabalho com carteira assinada e voltam a bater ponto porque seus clientes sumiram.

Tenham cautela com tanta positividade, nem sempre ela faz bem. Culpar um indivíduo pelo desemprego, insucesso, falta de dinheiro ou por não ser naturalmente empreendedor pode abalar de maneira drástica o seu emocional, fortalecendo o sentimento de baixa autoestima, fracasso e alimentar uma depressão. Formar opiniões e criar arquétipos empreendedores que devem ser alcançados por todos em um momento de crise econômica é crueldade psicológica disfarçada com palavras positivas.

Termino este texto com a reflexão do Monge Caciano Camilo Compostela, que foi publicada em sua página no Facebook.

E a Crise?
❝Falácia. Mito. Mentira. Equívoco. A afamada ideia de que ‘crise’ em Chinês significa ‘oportunidade’ não tem pé nem cabeça, base, sustentação, procedência ou fundamento linguístico. O termo ‘wēijī’ se consolidou na subliteratura como sinônimo para crise mas é algo tão sólido quanto a tese de que a Lua emite luz própria ou de que o Sol gira servilmente ao redor da Terra. Anote: A palavra crise vem do Grego ‘krísis’ e significa momento de decisão, período dramático, difícil, problemático, onde o indivíduo deve escolher entre perseverar expedito, forte e diligentemente para alcançar a solução ou naufragar sob o peso desgastante da insegurança; neste sentido, o sucesso não é um presente que cairá dos céus mas um caminho que se constrói de dentro para fora.❞
Caciano Camilo Compostela, MR+C. ©

Like what you read? Give Atenéia Moretti a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.