Como ser designer fora do Brasil?

Mudar para outro país nem sempre é fácil. O choque cultural e a diferença do idioma só tornam o desafio maior. A boa notícia é que o design se tornou uma linguagem universalmente falada em todo o mundo. É quase impossível dizer a nacionalidade de um designer apenas olhando para o seu trabalho. Isso significa que, em teoria, você poderia ser designer em qualquer lugar do mundo. A má notícia? Isso não é tão fácil quanto procurar emprego no Brasil e exige bastante dedicação.

Quando decidi viver na Inglaterra cheguei a fazer pesquisas do mercado de trabalho para designers e estava super otimista com a quantidade de vagas ofertadas, mas sabia que não iria encontrar trabalho na primeira semana e teria que fazer bicos fora da área por um tempo, porque eu, muito inteligente, decidi fazer essa aventura sem saber falar bulhufas em inglês 😓. Já até escrevi um texto de “Como foi HARD o meu primeiro ano de imigrante”.

Mas como falei antes, o design é universal e sabia que mantendo o foco, tudo seria possível. Depois de quase 3 anos vivendo fora, estou atualmente no segundo emprego como designer. Como houve alguns colegas pedindo dicas e informações, pensei em compartilhar tudo que aprendi.

Aqui estão 7 pontos importantes quando se trata de procurar trabalho na Inglaterra:

1. Presença

A maneira mais eficaz para encontrar emprego é estando lá, nada melhor do que falar: “Eu quero trabalhar para você e estou disposto a fazer enormes sacrifícios para fornecer valor”, do que realmente viajar para outro país e procurar um trabalho face a face. Na maioria dos casos, se você tentar aplicar seu currículo de fora do país onde você deseja atuar, as chances deles te levarem a sério seriam praticamente nulas.

2. Organize seu visto

Você vai precisar de um visto permitindo trabalhar na Inglaterra. Mesmo com a Inglaterra votando pelo Brexit ainda não foi decidido o que realmente vão fazer, então, todos os passaportes Europeus ainda são válidos. Se você tem alguns deles, essa é a hora certa de mudar pra cá. No final das contas, o visto é mais importante do que até mesmo o seu diploma. De todas as experiências vivenciadas, as empresas nunca me pediram nenhum dos meus certificados de universidade ou pós-graduação. O meu visto foi a única que coisa requisitada pelo RH.

3. Organize o seu portfólio

A maneira como você se apresenta é muito importante. Tanto o CV quanto o portfólio online. Além disso, peça para algum inglês nativo revisar tudo o que você escreveu, pois muitas expressões mudam de região para região e você certamente não quer ter alguma sentença mal interpretada. Além disso, eles não usam fotos no CV, então salve aquele espaço para outra informação.

4. Escolha a cidade exata, não apenas o país

Defina seu alvo. Ao fazer isso, você pode concentrar sua energia e comunicação inteiramente sobre essa cidade em particular. Já conheci alguns ingleses que mudaram do norte para o sul do país, mas por experiência própria, suas chances aumentarão estando próximo das cidades onde você está aplicando. Se você procura por empregos em agências, London e Bristol são as melhores opções.

5. Idioma

Tudo bem que design é universal, mas o briefing não. Você não vai precisar falar inglês perfeitamente, mas é necessário ter o mínimo possível para poder estabelecer uma comunicação. Eu comecei a procurar emprego como designer depois de 6 meses na Inglaterra e ainda mal sabia falar inglês. Lembro até hoje a minha primeira entrevista de emprego para designer, o entrevistador me falou:

"You have a impressive portfolio, but your english could be better." (Você tem um impressionante portfolio mas o seu inglês poderia ser melhor).

Eu sai da entrevista contando que não iria conseguir aquele emprego, mas graças ao meu portfólio, eles me deram uma chance e depois de alguns dias eles me ligaram oferecendo o trabalho. Mas digo até hoje: aquilo foi sorte, pois realmente não sabia falar inglês e aquela não é uma oportunidade que acontece sempre.

Já no meu segundo emprego meu inglês havia melhorado bastante e foi muito mais fácil e também me deu oportunidade para aplicar por trabalhos melhores.

6. Considere dar um passo atrás.

Algumas vezes é preciso dar um passo atrás a fim de avançar. Uma estratégia comum é trabalhar com bicos fora da área. Durante o seu expediente você estará conversando com todos os tipos de pessoas, e isso te ajudará a se adaptar ao idioma e diferentes tipos de sotaques. Isso será ainda mais útil nas entrevistas de emprego no futuro.

Além de trabalhar fora da área você também pode optar por pegar um trabalho mais simples de designer só pra pegar experiência e depois de um tempo você pode procurar por algo melhor. No meu caso eu peguei um trabalho de Junior e depois mudei para Middleweight.

Basicamente a carreira de Designer é dividida em 3 categorias:

Junior — Experiência: Acabaram de sair da faculdade — Salário anual: 15 a 23k
Middleweight — Experiência: 5-10 anos — Salário anual: 24 a30k
Senior — Experiência: Mais de 10 anos — Salário anual: acima de 30k

7.Insista

Não se desmotive porque você aplicou para X vagas não teve nenhuma resposta. Para conseguir o meu primeiro trabalho eu me inscrevi em aproximadamente 100 vagas entre todos os campos e níveis de design. O meu objetivo era voltar a ser designer não importasse onde 😅. Por sorte consegui o emprego na primeira entrevista que participei.

Já para o meu segundo emprego foi tudo muito mais fácil, graças ao tempo de experiência que eu tinha trabalhando na Inglaterra e por saber falar inglês. Apliquei para 7 vagas Web ou UI Middleweight Designer, das quais tive a oportunidade de ser entrevistado em 3 delas e escolher a que mais me agradava.

8. O que acontece quando você aplica.

Na maioria dos casos, quando você se inscreve em algum emprego online, são as agências de trabalho que contatam você e não diretamente a empresa. Alguns dos agentes vão ligar para fazer perguntas do tipo:

• Você é ele elegível para trabalho na Inglaterra?
• Em qual área do design que você atua?
• Quanto tempo de experiência você tem como designer?
• Você estaria disposto em mudar para cidade onde está localizado o trabalho?
• Quantos você deseja receber?

O agente vai avaliar se você se aplica ao trabalho depois de coletar todas as informações e só depois disso te indicará a empresa que tem a vaga em aberto. As próximas etapas seriam as entrevistas feitas pela empresa por telefone e depois mais uma presencial. Tudo sempre gerenciado pelo seu agente. Eles te ligam antes da entrevista pra dar dicas e depois para saber como foi. Se tudo der certo a última etapa seria o agente ligando para dar a boa notícia de que você foi selecionado.

O que eu aprendi

É tudo sobre paciência, perseverança e coragem de se arriscar. Não conte com a sorte para as coisas acontecerem, crie o seu próprio destino, se empenhando todos os dias para conquistar os seus objetivos.

Isso vem dando muito certo pra mim, tenho certeza que vai dar certo pra você também!