E agora? Agora culpamos o estagiário, claro!

Os anos passam, a web evolui mas as cagadas, ah, amigo, essas são cíclicas. A postagem em perfil errado, seja na rede social que for, surgiu junto com a função de Social Media. Desde 2009/2010 que vemos marcas pagando micos com tuites ou posts completamente fora do contexto de sua presença digital, muitas vezes ofensivos e quase sempre causadores de muito estresse para o departamento de marketing.

A Vodafone Inglesa gastou milhares de Euros para acalmar as entidades GLBT depois desse tuite em sua conta oficial.
Para quem não sabia o que fazia o Ministério da Defesa de um país que não se envolve em guerras, taí: bate recordes em Banana Kong.

Antes a justificativa para esse tipo de erro era a falta de ferramenta. Tudo era feita na mão, o Social Media precisava alternar entre janelas pra fazer a publicação do cliente ou a sua pessoal, o que dava margem pra erros. Desculpa furada, claro, algo fácil de resolver: bastava o sujeito não usar suas redes pessoais durante o horário de expediente mas propor algo assim dentro de uma agência digital era visto como um ato facista.

Quando dava merda a solução era simples: coloca a culpa no estagiário. A corda sempre estoura do lado mais pobr.. ops, mais fraco.

Hoje temos várias ferramentas que permitem uma gestão quase a prova de erros, ao menos do ponto de vista tecnológico ou de processos. Mas, bom, infelizmente as ferramentas parecem não conseguir resolver aquele que parece ser o MAIOR dos problemas: o F.O. É, a Falha do Operador, aquele defeito resultante de um mal funcionamento no hardware que fica entre a cadeira e o computador.

Perfil oficial da Petrobras deu RT em tuite sacaneando o vice-presidente para, depois da repercussão negativa, apagar e pedir desculpas e alegar "não reconhecer o RT". Ao menos não saíram com o vexaminoso "foi hacker".

Ainda colocam a culpa no estagiário — e a verdade é que sempre alguém de baixo escalão é demitido — quando a culpa deveria cair nas costas de quem manda, não de quem obedece. Essas falhas são erros grosseiros, geralmente fruto de uma operação tacanha, que envolve profissionais que ganham uma mixaria para falar por uma marca que vale milhões em uma ambiente onde estão centenas de milhares de possíveis consumidores. A culpa dessas falhas é de quem contrata agências incapazes de zelar pela qualidade de suas entregas e quem aceita que a culpa seja colocada no estagiário. A culpa dessas falhas é de quem trata a presença digital da marca como um mal necessário. A culpa dessas falhas é de quem acha que "qualquer coisa" resolve. Não é a primeira vez que falo sobre a importância de se contratar bons profissionais para cuidar de sua marca, podem ler mais AQUI.

Hoje foi a vez do STJ, que largou um RT indesejado também o que obrigou o perfil a se explicar.

É, os estagiários podem ser incompetentes, mas são bem humorados.

Talvez você não entenda o problema que pode ser causado por um tweet como esse, se não entende pode parecer apenas “mais um erro do estagiário”. Mas, amigo, acredite, estamos falando de um canal oficial de um dos órgãos máximos da justiça do país caçoando de um elemento cujo futuro poderá estar em suas mãos. Muitos podem distorcer o erro e apontá-lo como um posicionamento político por parte do STJ o que causará constrangimento para o órgão.

Não é a última vez que veremos um mico como esse, nem de longe. A única forma de resolver, ou melhor, de reduzir muito esse risco, é investir em profissionalização.

Ou você pode simplesmente deixar algumas desculpas escritas e pré-aprovadas. Vai que cola.

Like what you read? Give Eden Wiedemann a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.