E qual é a da frase “eu quis ser uma pessoa melhor por você”?

ilustração de Malena Flores

Tenho lido por aí as pessoas comentando sobre a frase “eu quis ser uma pessoa melhor por você” (e variações), até agora só ali apontamentos negativos, mas no fundo, sem entender ou concordar totalmente. Cá estou para mostrar o que eu ponderei com isso tudo.

Não consigo ver essa frase como algo ruim. Primeiro, porque ser melhor é algo bom de qualquer maneira. Segundo, porque não vejo vergonha ou menosprezo por alguém ter encadeado isso ou não conseguirmos, sozinhos, esse resultado. Não vejo essa situação como “depender” da outra pessoa para mudança, mas como se ela pudesse nos despertar para isso: e cara, acho esse crescimento pessoal lindo.

Eu vejo da seguinte forma: sozinhos não ligamos tanto para nossos defeitos porque não temos quem nos indique quais eles são, porque não teremos ninguém para ser afetado por eles (indicar aqui não significa necessariamente que a pessoa grite na nossa cara isso; às vezes, por causa da outra pessoa, nós simplesmente nos damos conta). Mas, quando encontramos alguém com quem nos importamos, também nos importamos com nossos defeitos e qualidades, todos nós queremos oferecer nosso melhor para outra pessoa.

Então, quando algo é passível de mudança, quando podemos melhorar em/com algo, queremos ir atrás. A gente tem que crescer mesmo. Não dá pra ficar sendo o mesmo pra sempre e dá pra aprender muito com outras pessoas e continuar sendo você mesmo.

E se você precisou de alguém pra desencadear isso: não tenha vergonha de se sentir incapaz de fazer sozinho, todos nós dependemos dos outros para as coisas (não do modo pejorativo que essa ideia pode carregar), não temos que ter medo de pedir ajuda quando precisarmos, é preciso humildade. A vergonha consiste em não tentar. A gente tem que ter orgulho de nos rodear de pessoas que nos fazem pessoas melhores.

E isso é completamente diferente de uma pessoa pedir para que você mude. Nessa situação você é paciente da ação, você sofre a ação de mudar. Mas quando você quer mudar por alguém, você é agente, você pratica a ação.

É preciso responsabilidade emocional e discernimento para ver se a mudança te fará bem ou não. E se for pra fazer bem, se for para nos sentirmos confortáveis com nós próprios, vamos atrás de amadurecer, de sermos melhores.

Crescimento pessoal é tudo. Amor próprio também!

Seja sempre melhor!