Animal de estimação não é artigo de luxo. Não é capricho. É membro da família mesmo. Se você não concorda com isso, por favor, leia o texto inteiro em nome da coexistência, se você concorda, leia porque se identificar é sempre gostoso.

Luli Sarraf
Jan 4, 2018 · 3 min read
Foto: Julie Hernandez

Gente como a gente ama tanto que chama de "filho" e nem tem como chamar isso de devaneio uma vez que há estudos que comprovam que o comportamento de um cachorro é similar ao de uma criança e que eles estabelecem laços afetivos com a gente que vão além da dependência por causa da alimentação.

Como um exemplar de ser humano que foi salvo pelos animais eu posso dissertar pra sempre sobre como a simplicidade deles extrai da gente o que existe de genuíno em nós: nossa verdadeira personalidade, a espontânea, que sorri sinceramente, cria, brinca. Quem não tem essa conexão íntima e profunda com animais se irrita quando vê nossas manifestações de amor e nem percebe que é mesmo amor.

Não ter o principal fator da minha definição como ser humano, que é o amor pelos animais, respeitado me ofende, percebe? Quem é conectado nasce assim, amando animais, não escolhe. E depois de nascer assim, se a sociedade não sufocar isso, quando a gente redescobre o que sempre foi: um amante de animais, a gente dá pulos de alegria por saber quem é, poder se assumir e ainda encontrar um bando de gente igual pra abraçar em comemoração do amor.

Assim como os esportes salvam e as artes salvam, os animais salvam. Se você não é quem é salvo por eles, pense nisso antes de diminuir quem é.

Em meus anos de atuação em periferias, em área de pobreza extrema, e desocupações, eu conheço muita gente igual a mim. Eu e esses amantes incondicionais de animais trabalhamos juntos para amenizar o sofrimento dos bichos. Além disso, foi num dia de trabalho pelos animais que uma senhora me abordou e me disse que o governo dava ajuda pros filhos dela mas para as princesas (as cachorras e a gata) ela ficava aflita por não ter dinheiro para tratar e saber que o governo não se importa mas que bom que guerreiros como nós chegamos lá. Naquele dia ficou escancarado pra mim que falar em "primeiro as pessoas, depois os animais" pra uma pessoa como a gente é impor uma violência horrorosa. No caso de pessoas pobres, pra quem tanto é negado, negar mais isso: o amor genuíno pelos animais, a violência perde a dimensão do que é imaginável.

Eu sei de onde saiu o preconceito contra o amor pelos animais. Foi da criação de cães de raça, que é sim um capricho humano, inicialmente foi pela utilidade, foi para melhorar a performance deles para os utilizarmos "melhor" que a relação de amizade passou a ganhar um mercado e uma relação de produto para quem não os ama genuinamente, o que é um outro tópico a ser explorado em muitos outros capítulos. Pra esse texto, o foco é mesmo no direito de amá-los do jeito que amamos. Amor é amor.

Eles são família. Se são sua família, me abraça! Se não são, nem precisa entender, só tente respeitar mesmo. Coexistir é sempre uma excelente idéia.

NEW ORDER

Produção colaborativa de histórias e tendências para instigar você. Somos a primeira e maior publicação brasileira no Medium, vamos juntos?

Thanks to New Order - Redação

Luli Sarraf

Written by

Meu amor pelos animais me define

NEW ORDER

NEW ORDER

Produção colaborativa de histórias e tendências para instigar você. Somos a primeira e maior publicação brasileira no Medium, vamos juntos?

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade