Muito prazer, Júpiter. Nós somos os terráqueos.

Olá, querido gigante gasoso do Sistema Solar. Finalmente, após cinco longos anos, estamos frente a frente com você. É um momento único, praticamente divino, que nós estamos tendo.

É de imensa importância este encontro. E não poderíamos escolher alguém melhor para isso: Juno está ao seu lado desde a última segunda feira (4). Assim como na mitologia romana, vocês formarão um par incrível. Assim como alguém apaixonado, você deixará Juno conhecer cada segredo seu, cada detalhe seu, tudo o que ainda não sabemos.

O seu verdadeiro reinado no Sistema Solar será melhor entendido agora. Sabemos que você é o herói do Planeta Terra, segurando todos os grandes impactos de meteoros que poderiam acabar com o pálido ponto azul — e acabar com tudo o que existia antes da vida surgir. Sabemos que a sua presença, como o maior planeta do nosso Sistema Solar, possibilitou a conformação atual dos planetas ao redor do Sol — aliás, você é praticamente um Sol. A composição de sua atmosfera muito se assemelha ao astro que nos ilumina. Mas o seu ‘brilho’ é diferente, sua importância é diferente, é algo único.

Devo dizer que a civilização por trás desse encontro está passando por graves problemas. Pergunte a Juno sobre os povos da América do Sul, estão todos malucos. Principalmente os que moram em um país tropical bonito por natureza.

Sem falar que a própria Terra não anda muito bem. Maltratada, coitada, têm filhos bem ingratos — mas são só alguns. Alguns desses filhos até duvidam da própria mãe, insistem em dizer que ela tem domo, que há uma organização chamada NASA que esconde coisas, dizem até que ela é plana, você acredita? Pode dar risada, a piada é essa.

Mesmo assim, você não imagina o esforço que foi preparar este encontro. Mal podemos esperar por mais de seus encantos como as suas auroras boreais, o seu intenso magnetismo, a sua Grande Mancha vermelha, a sua ‘chuva’ de diamantes. Mal podemos esperar para saber o que guarda por debaixo da sua atmosfera. Conhecemos um amigo distante seu ano passado, Plutão, e viramos grandes amigos.

Mais do nunca, Júpiter, conhecer você é um grande momento de esperança. Na Terra, o esforço feito para conhecer você, chamado de Ciência, ainda é muito mal vista. E é a Ciência que tem o potencial para dar ainda mais respostas. Esperamos que jovens se inspirem nesse encontro com você para não terem medo de ousar, que querer ir além, de querer encontrar outros poderosos como você. Com certeza alguém que não está mais aqui, chamado Carl Sagan, não teria segurado a emoção com a chegada de Juno até você. Eu mesma não segurei. E me sinto feliz e orgulhosa de ver essa página de livro de História acontecer ❤.