Não é preciso ser feliz

aprenda a acender as pequenas lâmpadas da vida.

Eu aprendi que a felicidade não é algo que você tenha que buscar, não é um objetivo de vida. A felicidade é quando o tempo pára.

Saca quando você quer comer coxinha e come, não uma coxinha qualquer, mas a coxinha primordial, aquela que preenche o seu imaginário sobre tal delicioso salgado? Isso é felicidade.

Quando você senta ao piano, ou pega o violão, a flauta, o atabaque e produz exatamente o som que ecoava em sua mente? Isso é felicidade.

É quando você sente que pode ir além. Quando os obstáculos do mundo viram apenas poeira e o que existia somente em sua mente toma corpo.

Não é a busca de um sonho, não é a riqueza ou saúde. É uma luz.

A vida é como um grande quarto escuro cheio de interruptores que acionam pequenas lâmpadas.

Felicidade é a hora que você aciona um dos botões e uma tênue luz se acende. Cada singelo facho de luz é felicidade.

Não é preciso ser feliz, até porque as lâmpadas queimam vez ou outra. É preciso porém, acionar o interruptor, acender a luz.

Felicidade é provocar o momento mágico. É saltar para além do hoje.

Não busque a felicidade. Procure encontrar os interruptores. E acenda as luzes da sua vida.