Nós e essa mania de ligar para o que os outros fazem ou deixam de fazer

Eu acho engraçado como as pessoas se importam com o que os outros estão fazendo. E todo mundo faz isso né? Fofoca, por exemplo, não é nada mais nada menos que falar sobre a vida alheia, e em geral de maneira bem pejorativa. Não sei exatamente o motivo disso, mas com toda certeza já deve ter algum estudo que nos explique essa grande necessidade de estar sempre falando sobre os outros.

O que, pelo menos para mim, não é um grande problema em pequenas proporções sinceramente. Só falar entre você e seus amigos sobre qualquer pessoa que seja dificilmente vai ter um grande impacto na vida dela. No máximo vocês vão dar umas risadas e ‘fortalecer’ um laço de amizade ao encontrar mais alguma coisa em comum entre vocês. Afinal não sejamos hipócritas, todos nós fazemos isso alguma hora.

O problema real começa quando esse falar começa a sair da sua roda de amigos e ir para conhecidos, colegas, e outras pessoas completamente aleatórias e que de alguma forma mantém um contato rotineiro com a pessoa em questão. Nesse ponto a fofoca e ligar para o que os outros estão fazendo já começa a se tornar errado, já que agora você está fazendo com que outros tenham pré-julgamentos baseados em porra nenhuma sobre alguém que você mal conhece.

Por último, mas não menos importante, chegamos naquele modo que as pessoas não só querem falar sobre o que outro faz, como também querem interferir no modo como fazem e estipular regras para algo que muitas vezes não possuem a mínima ideia do que realmente é. E assim chegamos nas questões de coisas como o aborto, a homossexualidade, e milhares de outros debates em pauta na sociedade atual.

Por sinal, nesta semana tivemos uma das votações para a descriminalizar o aborto até os 3 meses de gestação. Manifestações contra, manifestações a favor a todo momento e em todas as redes sociais que utilizamos. Uma série de argumentos pró aborto e mais uma outra série de argumentos contra. Uma discussão ferrenha, uma guerra de hashtags, enfim, um dia normal na internet brasileira e politizada que vemos hoje, mas com uma pauta bem definida.

Só que aqui eu sinceramente não me importo se você é contra ou a favor. Também não tenho a mínima intenção de dizer o que eu penso ou deixo de pensar sobre isso. A única coisa que eu queria te perguntar sobre essa e toda outra pauta que venha a passar pela sua frente em qualquer momento que seja é: o que vai mudar na sua vida quanto a essa decisão? Se a decisão for pró-aborto, o que muda para você? E se for contra aborto, o que muda para você?

Se a resposta para essas perguntas é que nada na sua vida mudará, então porque caralhos você está se importando tanto? Se não condiz a você, se não bate em nada que tenha a ver contigo, então porque você simplesmente não ignora? Não tem porque você se manifestar ou ter qualquer tipo de poder decisão em algo que não fará a mínima diferença na sua própria vida. Opinião você pode e deve ter. Mas usá-la para definir algo que não faz diferença alguma para você, bem, isso é algo que já acho que você não poderia nem deveria fazer.

Like what you read? Give Leonardo Pacheco Fuita a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.