O novo governo vai acabar com blogs e veículos "pró-PT"?

“O governo vai acabar com a verba de propagada para os blogs progressistas”. Tal informação, que foi destaque na imprensa na última sexta, foi comemorada por muitos e criticada por outros tantos. A verdade é que a informação está errada, ou melhor, incompleta. Mas a verdade por trás dela pode, a médio prazo, ser responsável por uma limpeza em nossas timelines.

O que o governo deu a entender é que vai vincular a compra de espaço de mídia em canais digitais à capacidade dos veículos de atender critérios técnicos. Isso significa que para receber verba do governo o veículo terá que provar que atende tais critérios, ou seja, nada mais de blog que defende determinado partido ganhando 40 mil por mês para apresentar um banner para 5 mil pessoas. Nada mais de perfil de humor no Twitter recebendo verba federal para agredir adversários. Nada mais de veículos sem relevância para os interesses da população (é, o objetivo da publicidade pública não é atender aos interesses do governo e sim da população) recebendo 2 milhões por ano para atender uma agenda ideológica e política.

“Ah, vão censurá-los”. Não, não vão, eles podem continuar publicando e tentando vender mídia, só não irão vender pro governo se não comprovarem atender os critérios técnicos. “Ah, mas a verba vai toda pra Globo”. Faz anos que a Globo recebe a mesma verba do governo, o que foi reduzida foi sua participação no total investido, ou seja, arrumaram mais verba pra distribuir pros amigos enquanto mantiveram o dinheiro onde “funciona” intocado. “Ah, é retaliação!”. Não, não é, é o que é certo.

A verdade é que vocês vão ver um chororô sem fim daqueles que dependem de apadrinhamento pra sobreviver. Vão dizer que mídia técnica é apenas uma forma de garantir que o dinheiro esteja na mão dos grandes, por exemplo. Vão ver Diário do Centro do Mundo, Revista Fórum, Tijolaço, Cafezinho, Conversa Afiada e tantos outros que não atendem aos critérios alegando que as uvas estão verdes. “Nós merecemos verba de mídia”, vão gritar. Merecem? Então provem, oras. Se provarem, que levem.

O que deveria estar sendo discutido não é se será ou não critério técnico, tem que ser e ponto. O que precisa ser discutido é que critério é esse. Se for apenas alcance está errado, aí entram apenas os grandes, os caça-clique e afins. Seria preciso contemplar alcance, relevância, capacidade de conversão, engajamento, fidelização e outros. Uma vez balanceadas as variáveis mesmo um Paulo Henrique Amorim poderia tentar vender algum espaço, mas nunca pelo valor que vende hoje, claramente muito acima do que entrega tecnicamente. Alguns desses veículos estão tentando contratar diretores comerciais, sem sucesso, ninguém quer pegar essa bomba. É, vejam bem, eu sou a favor que, se cumprindo os critérios, qualquer veículo, de esquerda ou direita, possa ser considerado na estratégia de mídia.

Aqui vale um adendo: ah, porque você focou nos blogs e veículos de esquerda? Porque a matéria que motivou o texto era focada neles mas eles são apenas o estopim para a discussão principal que é “a verba de mídia tem que ir pra onde ela funciona e não para onde alguém quer que vá”. O objetivo da mídia institucional é a prestação de serviço pública e nada além disso. Não interessa se é blog de esquerda, não interessa se é blog de direita, ou entrega ou não tem que ver verba de mídia federal e pronto. Voltando ao bode no meio da sala… seguimos adiante.

Logicamente o sentimento dos “jornalistas” e blogueiros que sentiram-se ameaçados por essa posição do novo governo é “nos lascamos bonito”. Sem saber como realizar as entregas técnicas — nunca precisaram fazer isso, só precisavam publicar o que mandavam — sentem a água batendo na bunda. Muita gente pensou que fossem se aquietar com a verba minguando, ou mesmo com a possibilidade. Mero engano. Mesmo uma ratazana, quando acuada, fica perigosa. Eles sabem que tem 180 dias pra tentar recuperar o status-quo e vão pro vale tudo. O que vem por aí é bem ruim.

Desde a Mídia Ninja, que se diz independente mas que tinha integrantes em cargos comissionados federais, passando por veículos diversos e até algumas sinistras figuras defensoras do governo petista vão abrir mão de limites — se é que já os tiveram — para tentar, por meio de guerrilha virtual, não afundar.

A Mídia Ninja publicou um post falso do então Ministro Romero Jucá, tentando jogar gasolina no fato de não haverem mulheres entre os novos ministros. São “jornalistas”, sabem como checar fontes, com apenas um clique teriam descoberto que o post é falso. Não o fizeram. Pelo simples motivo de que não importa se é falso ou não, o que importa é que atende a estratégia deles.

É só o começo. Vai piorar muito.

Minha sugestão seria para deixarem essa baboseira de lado e tentarem entender como se ajustar aos critérios técnicos, para não quebrarem. Mas, sinceramente, duvido muito que acreditem ter competência pra isso. Sejam de esquerda, sejam de direita. Pau que dá em Chico também dá em Francisco.

Sabem que vão morrer.

Querem morrer atirando.

Que morram.

A nossa timeline irá agradecer.

Like what you read? Give Eden Wiedemann a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.