O Mito e a Verdade Sufocada

Bolsonaro no Roda Viva (Foto: Eduardo Anlizelli / Folhapress)

De acordo com o especialista em história nacional, Jair Messias #Bolsonaro, o Brasil não possui dívida histórica com a população negra, visto que ele mesmo nunca escravizou ninguém. A culpa dar-se aos próprios negros que tornavam seus pares cativos e os vendiam legalmente em mercado aberto.

Os portugueses, coitados, apenas compravam o que lhes eram oferecido por um preço justo. Afinal, se era permitido, legal e moral, que mal havia? Tratava-se apenas do MERCADO (esta entidade idônea, para não dizer fantasmagórica, que os “liberais” tanto defendem) movimentando a economia. Isso não é de assustar vindo de alguém convicto de que jamais houve ditadura no Brasil, mas sim um regime democrático, comandado por militares sem voto popular.

Trazendo para o contexto atual, é como dizer que comprar produto proveniente de carga roubada não é problema algum se quem estiver no balcão for um cidadão de bem e não um traficante com o fuzil na mão.

E para resolver o problema dessa dita carga roubada, o negócio é emitir o tal excludente de licitude (carta branca para matar), pois para o candidato à presidência, resolver o problema da segurança pública com inteligência, resume-se apenas a subir morro com rosas nas mãos.

Enfim, Bolsonaro é sim o candidato mais bem preparado, visto que o papel de candidato é, de fato, conseguir votos e isso ele faz com maestria.

Despreparado mesmo é o seu eleitorado, que além de provar por A+B o quanto nosso povo carece de boa educação, mostra perfeitamente a tamanha falta de bom senso que inunda nossa sociedade.

Caso não tenha tido oportunidade ainda de assistir a entrevista, assista. Aproveito e faço mais adendo — falando como jornalista que sou: Quando falo na falta de bom senso que permeia nossa nação, digo respeito a todas as classes, sem exceções, incluindo a do próprio jornalismo atual, que cada dia mais mostra-se cheio de vícios e absolutamente despreparado para confrontar novas adversidades.

Vivemos momentos difíceis.