O que mudou entre as manifestações de 2013 e 2016

Quando o Brasil foi às ruas em junho de 2013, de forma espontânea e sem o apoio da mídia, a população reivindicava reformas que melhorassem os serviços públicos.

Sem lideranças nem algo concreto para negociar por parte dos manifestantes, o governo ganhou tempo e conseguiu reeleger-se no ano seguinte, aproveitando o sistema que mantém os mesmos parlamentares em Brasília há décadas.

Hoje, a população volta às ruas, com uma proposta clara e com o apoio da mídia. Querem o impeachment da presidente Dilma Rousseff e a prisão do ex-presidente Lula.

Sem apoio da própria base aliada, o governo vê chance real de sofrer o impeachment, mas pouco se sabe sobre o futuro do país caso este processo aconteça.

Além do governo, o Brasil segue sem rumo.

Like what you read? Give Cristiano Casagrande a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.