O que te motiva?

A vida é feita de momentos

Kalle K

Gosto de visitar bancas de jornais e revistas. E este mês, quando passei pela banca do Shopping, encontrei o livro "Seja mais produtivo. Agora.", da jornalista Ana Prado. O lançamento, publicado pela editora Abril, traz dicas da autora de como eliminar a procrastinação, fazer o tempo render e trabalhar melhor com menos esforço. Ainda não concluí a leitura, mas já garanto que vale super a pena ler.

Na seção I, tem o título Organizando a bagunça; e no capítulo 2, sobre a importância de definir objetivos, uma das dicas é avalie suas motivações. A Ana apresentou dois tipos de motivação: extrínsecas (ou externas, como status) e intrínseca (ou internas). Já havia ouvido os dois termos aliados à felicidade, no documentário Happy, que pretende nos fazer refletir sobre o que é a felicidade genuína.

Nós buscamos ser felizes para nossa realização pessoal (intrínseca) ou para ser reconhecido diante de um grupo, para alcançar algum status (extrínseca)?

Eu estava passando por um período bem desmotivada. E essa dica da Ana me fez pensar: o que me motiva? Onde estavam minhas motivações que haviam desaparecido naqueles dias? Como reencontrá-las? Porquê, sim, precisava delas urgente. Precisava daquele sentimento bom de estar de bem com a vida.

Fui pensar… Afinal, os momentos de crise servem para reavaliarmos tudo e traçarmos novos rumos e até mesmo algum bom reencontro. Lembrei que quero ser reconhecida por algo, mas antes preciso me reconhecer como esse algo.

O que quero ser, como quero ser e o que farei pra alcançar só depende de mim. E durante esse processo o que vale mesmo é como me sinto, e em como caminhar até onde quero chegar me faz sentir. Eu não quero recompensa apenas no final do caminho. Eu quero percorrer o caminho satisfeita, motivada, inspirada. O final é o final. Mas o caminho é o contínuo, é o que vai ficar em mim para o resto da vida.

Percebi que a opinião de familiares e amigos contam e motivam, mas é a minha atitude que me faz levantar e seguir. E a busca pelo que me motiva, pelo que me move, deve ser íntima e incessante.

Se for a leitura de um bom livro, então devo ler mais.

Se for ouvir MPB, então vou ouvir mais.

Se for ver um bom filme, então devo ver mais.

Se for correr 5 km, então devo correr mais.

Se for um papo cabeça mas sem muita pretensão, então devo conversar mais com alguns amigos.

Se for olhar o mar e ver o pôr do sol, então devo me conectar mais à natureza.

E se for algo que eu ainda não encontrei, então devo procurá-lo.

A fase desmotivada passou. E sei que um dia ela pode voltar. Faz parte. Não estamos 100% o tempo inteiro. Não somos felizes o tempo todo. A vida é feita de momentos. E cada novo momento é uma chance de avaliar, recomeçar ou seguir, e chegar mais próximo da nossa essência.