Quase tudo que eu preciso dizer para meu filho

15 anos com Francisco

Eu bem que te avisei, aqui e aqui.

Há pouco mais de um ano, eu te dizia pra dormir.

E hoje, como nas manhãs frias em que eu, com o coração na boca, sou obrigado a te arrancar da cama quentinha pra enfrentar a escola, eu te peço: acorda.

Acorda, abre os olhos.

Olha a tua volta. Percebe.

Usa a vantagem que você tem à seu favor. A vantagem que te é tão natural, e que todos ao seu redor estão se matando por ela, e você ainda tem, de sobra: tempo.

Hora de você olhar o mundo, e aproveitar que ele ainda não está olhando para você. Hora de escolher os caminhos sem pressa, para não ter que fazê-lo correndo mais tarde. De começar a traçar metas à lápis. Não se aflija, elas serão apagadas e substituídas mais tarde. Mas acredite: é melhor tê-las e apagá-las, porque mais tarde nossas trilhas são indeléveis. Elas ficam pra sempre, marcadas a fogo, em nossas costas, em nossas vidas.

Sei do momento em que você está. Não com detalhes, porque não pertenço a ele, mas na essência, porque ele já pertenceu a mim. Sei o quanto é difícil ganhar todo esse tamanho e mesmo assim achar que não tem um lugar que te caiba ainda. Alguns locais ainda são grandes, outros já ficaram pequenos.

Sei que a vida parece estar ficando mais chata e mais bacana ao mesmo tempo. Mais bacana porque tanta coisa que não podia ontem, hoje pode. E tão chata porque tanta coisa que você acha que poderia, não te deixam. E é assim mesmo, pro resto da sua vida. O que muda é apenas o juiz dessa partida. Hoje somos nós, seus pais. Amanhã será a sua consciência. É melhor aprender a lidar com isso: a liberdade total até existe, mas muitas vezes vem com um preço que ninguém está preparado pra pagar.

Aliás, faça amizade com seu senso de responsabilidade. É muito cedo para se impor limites, mas frequentemente as pessoas mais felizes do mundo são aquelas que não pensam a vida de forma dualista. Trocando em miúdos: ser responsável não significa ser quadrado. Significa estar em paz com seus valores. Quem os têm não ficará sozinho, jamais.

Acorda, porque agora termina o tempo das festinhas, e começa o das festonas. E ainda que festas sejam um das melhores partes da vida, é muito fácil se iludir, achando que a vida pode ser uma grande festa. E se você toma os picos como padrão, você força todo o resto dela a funcionar como vale. Saiba conviver com os picos da mesma forma que com os buracos. Eles vêm e vão, mas o ideal é não montar acampamento em nem um, nem outro.

A verdade que ninguém conta: a vida é uma grande confusão. E dentro dela é fácil (como o próprio nome já diz) se confundir. Por isso, meu filho, cuidado:

Não confunda braveza com bravura. Ficar irritado o tempo todo pode trazer dor à todos que vivem contigo. Mas com certeza trará mais dor para você. Ser sizudo não significa ser sério. Mau-humor é uma doença. Reclamar é uma coceira. Lembre-se que balões enxergam mais longe que carros porque são cheios com algo mais leve que o ar. Seja você também, mais leve que o ar.

Não confunda gentileza com fraqueza. E isso é bem sério e complementar ao que eu disse acima. Tudo na sua vida será mais fácil se você for cortêz. Mas saiba a hora de dizer não. Saiba a hora de dizer chega. Saiba o que faz seu termômetro subir, quais as linhas que você não cruza. E quando isso acontecer, mantenha-se calmo, decidido e íntegro.

Não confunda boniteza com beleza. Todo mundo quer estar bem. Todo mundo quer ser notado. Mas se agarrar demais a isso é jogar um jogo perdido. Tenha certeza que tantas coisas que parecem tão importantes hoje não passam de ilusão. A beleza real não sai dos músculos, sai dos poros. Você pode ficar bonito ou ser bonito. Escolha sabiamente.

Não faça seus problemas serem problemas dos outros. Muita coisa vai acontecer na sua vida. Coisas boas e ruins. As boas são fruto da sua conduta, da sua alma, da sua sorte. As más, são o mesmo. Azar o seu. Isso parece duro, mas é das coisas mais complicadas de serem entendidas. Você, e só você, é responsável pela sua felicidade ou tristeza. Quem te ama ou quem te odeia podem te mostrar muitas portas. Somente você pode decidir passar ou não por alguma delas.

Exploda suas pontes, mas não jogue fora a bússola. Não existe como caminhar para frente olhando no retrovisor o tempo todo. Por isso é sempre melhor saber para onde se quer ir. Se precisar voltar, não há vergonha no caminho, mas faça dele uma jornada nova, não uma marcha à ré. Se você não aprendeu na ida, aprenda na volta.

Não deixe que o pior de você seja aquilo que me define.

Sinta medo, mas que ele não te paralise.

Sinta ódio, mas que ele não me domine.

Sinta inveja, mas que ela não te controle.

Muita gente acha que as maiores invenções do mundo são a roda e o fogo. Mas antiquado que eu sou, acho que são o obrigado, por favor e desculpe. Use sem moderação. Mas saiba: gratidão é pra ser sentida. Perceba quando alguém facilitou sua vida, e seja grato de verdade. Favores são para serem pagos. Não o “por favor” que sai da nossa boca quando pedimos um saleiro na mesa (ainda assim, use-o), mas a mão estendida em momentos difíceis. Quando se pede “por favor, me ajude”. Sinta o peso disso, e seja impecável quando tiver a chance de retornar o favor. Por fim, pedir Perdão significa reconhecer seu erro, e fazer o possível para não cometê-lo de novo.

Lembre-se do que somos. Do que fomos. Do que queremos ser. Saiba que eu e sua mãe te queremos acima de tudo. Acima do mundo, acima de nós mesmos.

Eu já ando treinando meus olhos, filho. Para que eu consiga vê-lo, mesmo se você estiver longe. Ando treinando meu coração, para que aguentar essa distância. Ando fazendo alongamento, para que meus braços estejam em forma quando você precisar de um abraço. Ando treinando corridas, para chegar rápido se você chamar. Ando polindo as cornetas, juntando confetes, colecionando velas para comemorar suas conquistas.

Meu companheiro. Meu amigo. Meu amor. Meu filho.

Feliz aniversário, Francisco.
trendr | vida para conteúdo relevante - TwitterFacebookMedium