Que reações a figura desta pessoa te causa?

“Criem novos personagens gays, negros, gordos, travestis, mulher e parem de mexer no original!”
Riri Williams, novíssima personagem apontada oficialmente como nova protagonista do gibi do Homem de Ferro, causou “alvoroço” e “reações polêmicas” inclusive em quem nem lê gibi. Por quê?

Por que você reage dessa forma?

“PAREM DE MEXER NO ORIGINAL, DEIXEM MEUS HERÓIS EM PAZ!!!”

O que é esse “original”? Em que contexto esse original foi criado? Em quais circunstâncias? Qual era o contexto em que estávamos inseridos? Qual a diferença para o contexto de hoje? Por que essas reações acontecem?

Do outro lado:

“Que orgulho! Agora sim vou ler gibis! Representatividade importa!!!”

Por quê? Por que um simples anúncio — uma menina que vai estrelar no gibi de um super-herói conhecido mundialmente — causa todas essas sensações?

Miles Morales, o Homem Aranha de uma realidade alternativa, recentemente incluído na realidade “principal” da editora Marvel. Quando surgiu, em 2011, causou um milhão de sensações, principalmente negativas. Por quê?

Por que tantas emoções extremas de ódio e alegria?

Eu sei os motivos, à minha própria maneira, mas não vou dizer aqui. Quero saber o que você acha. Ou melhor, talvez eu não queira saber, talvez eu queira que você pense. Se você quiser, é claro. Você olha para as estruturas do mundo? Superficialmente? Profundamente? Em quais paradigmas estamos inseridos?

Por que você acha que tudo isso que te ensinam é uma verdade universal? Universalidade existe? Que imaginário é este em que estamos inseridos? Por que uns aparecem mais do que outros?

Ororo Munroe, a Tempestade dos X-Men, estreou nos 70. Originalmente, ela possui cabelos lisos. Se ela é filha de uma sacerdotisa queniana com um afro-americana, por que retratá-la com cabelos lisos?

Por que as verdades, os sentimentos, as cosmologias, o imaginário, os paradigmas, a metafísica e a lógica de uma minoria pálida se sobrepõem à maioria melaninada do mundo? Por que as verdades de uma minoria são considerados “universais”, a ponto de essa minoria tachar de “minoria” a verdadeira maioria do mundo?

Você acha que a questão se limita apenas a xingar de “macaco”? Você acha que ‘tudo se resolve’ se a figura aparece ou não?

Crianças reagindo com extrema alegria quando anunciaram que o afro-americano Sam Wilson seria o Capitão América. Por que esse tipo de reação ocorre? Qual contexto nos levou a isso?

Por que a mera aparição de algumas figuras num certo tom já fazem alguns recorrerem a palavras como “vitimismo”, “coitadismo”, “cotas”? Que contexto em que estamos inseridos nos leva a esse tipo de afirmações?

O que significam grandes marcas divulgadas para o mundo? O que significam uma tonelada de filmes, de revistas, de jogos, de séries, retratando apenas uma única verdade, apenas um único ponto de vista, como universal, ignorando todas as demais possibilidades? Ignorando todos os demais pontos de vista?

O que significa as etiquetas com as quais você tacha os outros? Por que você chama de “minoria” quem na verdade é a maioria deste mundo? Por que te agrada ver isso que você chama de “minoria” numa posição subalterna? Por que você gosta de ditar classificações e rótulos nessa dita “minoria”? Por que te agrada “ajudar”, “contribuir”, “ser aliado” desses que são convencionados como “minoria”?

Primeiras páginas do gibi “Captain America — Sam Wilson #10”. Por que a figura desses personagens reunidos causa “polêmica”? Por que alguém disse que isso é “falta de diversidade” se os personagens presentes são extremamente diversos? De qual “diversidade” estamos falando? E por que não há muitas reuniões como essa?

Por que a maioria das pessoas do mundo são chamadas de “minorias” pelo imaginário do mundo hoje?

E por que a mera aparição dessas ditas “minorias” viram uma “questão”? Por que essas “questões” não podem ser abordadas na ficção? A ficção é ou não é reflexo da realidade? Você acha mesmo que a ficção deve ser totalmente desassociada do contexto em que estamos inseridos? Quem determina isso? Qual o interesse de quem propaga essas figuras? Por que “não podemos falar sobre isso” para que “tudo permaneça como está”? Por que resumem ao clichê do “politicamente correto”? O que é esse “politicamente correto”? Por que insistem em estereótipos positivos e negativos se estes não refletem a realidade?

Se a dita “minoria” na verdade é a maioria, por que não pode aparecer?

Qual é o próximo clichê/chavão/tolice que você vai proferir perante uma simples figura?

Preciso me justificar? Preciso dizer que leio gibis, especialmente da Marvel, desde os anos 80 e que continuo lendo-os e acompanhando de perto até hoje?