Séries dão um grande barato, por qual razão as amamos?

JESHOOTS.COM, Unsplash

Hoje é tão comum ficarmos acompanhando nossas séries favoritas, né? Podemos participar, mesmo que expectadores, da vida de um estranho que achemos interessante, seja em casa, no trabalho, na rua…, isto, porque as séries são recheadas de imprevistos, de referências que nos conectam ao passado, ao presente e ao futuro.

E a ideia de continuidade, pressuposta nas séries que amamos, está no cerne de nossa natureza humana, como uma necessidade de preservação, dando-nos um senso de orientação, em meio a um mundo inconstante, no qual até as relações o são.

Mas existem outros motivos para que toda a nossa atenção se volte a elas, sendo o principal de todos: experimentar, através de um dos nossos sentidos — a visão —, outra vida que não seja tão comum quanto a nossa.

E todos os aspectos contidos nas séries, desde o tema, as imagens, os sons, os modos de ser das personagens, enfim, são estimulantes para satisfazer a nossa psiqué e nos incitar emoções que normalmente no cotidiano não sentimos.

Assim, constatamos que as séries a que assistimos influem em nossa realidade, ora nos inspirando a realizar algo diferente, ora nos tornando mais espertos. Quantas vezes você se pegou repetindo uma frase que achou deveras sagaz dita por uma personagem de uma série? Ou saiu por aí decidido a participar de alguma atividade exercida pela sua personagem favorita?

E quando a temporada acaba? Nossa! Conheço gente que fica deprimida! Geralmente, ao chegar o fim de uma fase da nossa série predileta, há sempre um gancho sugestivo que gera certa curiosidade ou ansiedade em nós para saber quais próximos passos serão dados na trama, e, claro, as surpresas (entrada de uma nova personagem, reviravolta, morte, etc.).

E no mais, assistimos a séries por nos entreter diante do tédio que às vezes percebemos em nosso entorno, reduzir o nosso estresse ou nos fazer sentir algum tipo de emoção novamente, como um resgate…

Contudo, é sempre importante estamos conscientes do que nos leva a realizar ações repetidamente, como a de acompanhar séries de filmes. Sendo algo saudável, tudo bem, mas se começar a mudar a inverter sua percepção sobre os fatos reais, cuidado, pois você fará coisas muito estúpidas.