Para conhecer o trabalho do Grenplace acesse aqui.

Unidos venceremos! Separados Pereceremos!

Esse é o nosso contributo por um país (e um mundo) mais unido nesses tempos de ódio. Vamos parar de tentar “adivinhar” o lado certo da história e construir mais solidariedade! O tema serve especificamente para a sessão “Caos Político” da New Order por motivos óbvios.

😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇


Manifesto do Destino — Por um futuro mais tolerante:

Nós, a Greenplace, sabemos que na atual conjuntura nacional, os movimentos sociais e ativistas estão desacreditados. Muitas minorias estão sendo acusados, injustamente, de pertencer aos partidos políticos por conta das pautas que defendem (ecologia, feminismo, conservadorismo, religião e etc).

Ter bom coração é crime?

Fica parecendo que prestar solidariedade para uma minoria é discurso partidário.

Um mercado inclusivo, então, funciona assim:

  • Preste solidariedade, mas, também, esteja integrado ao mercado. Defenda uma pauta, sem deixar de mensurar e comunicar os efeitos sociais positivos do seu empreendimento.
    Exemplos:
  • Uma padaria que emprega pessoas excepcionais (diversidade).
    *Uma empresa que auxilia na instalação de lixeiras em locais estratégicos das calçadas para otimizar a gestão de resíduos (ecologia).
    *Uma empresa de tecnologia e informação que financia projetos com foco no ensino da programação dirigido para a população LGBT .
    *Apoio financeiro dado às igrejas com o propósito de mitigar intolerâncias religiosa.
  • Empondere e produza: Parta de uma contundente opinião crítica contra qualquer tema “espinhoso” (machismo, ecologia, esquerda, direita ou tolerância). Defenda-a. Mas, também, saiba oferecer uma proposta de valor capaz de resolver esse problema social. Comunique esses dados. Empondere a “população alvo”.
  • Construa uma cultura (cosmovisão) da solidariedade. Concilie ideologia, opinião e conteúdo com efeitos reais sobre a sociedade. “Desconstrua” essa visão de que a intelectualidade vive, apenas, dos sonhos e/ou leis de incentivo à cultura.
  • Vive e honre seus dias de trabalho… E, principalmente, os dias de “vagabundagem”. O lazer, os passatempos, a socialização e as conversas são tão importantes quanto o trabalho. “Aceitar” o outro (empatia) acontece, principalmente, nos momentos descontraídos.
  • “Aceitar” acontece sem pressa, quando a pessoa está “desprevenida”, numa amizade descompromissada.
  • Que tal uma Greenplace que incentive o empreendedorismo social, a real transformação do mundo, a empatia e, acima de tudo, a amizade construída descompromissadamente?
Muita paz, muito lazer, muita alegria!
  • Ser humano só é ser humano no lazer. E ser humano só aceita outro ser humano nesse mesmo lazer. Imagine você descobrir que você possui mais afinidade com algum desafeto seu (que você sempre chamou de “esquerda”, “machista”, “geração mimimi”, “feminista”, etc, etc) do que aquele seu contato no facebook.
  • Abra-se para o mundo! Saiba que as circunstâncias moldam nossa percepção e preconceitos. Quantas amizades você manteria sem as eleições?
  • Viva o “aqui e o agora”!
  • Por que você é o lado certo da história nesse clima de intolerância? É porque você é a pessoa “certinha” que trabalha e paga as contas?
  • Percebe o trabalho como justificativa moral e ideológica, “a pedra fundamental” da sua autopercepção e autovalorização?
  • Já pensou viver num mundo onde todos merecem viver, apenas, porque, a felicidade é, em si, uma justificativa moral e ideológica?
  • Podemos todos viver, porque, apenas, merecemos a felicidade. E ponto.
  • Antigamente, a política era “a guerra continuada por outros meios” É óbvio: Inicie um partido, “chame seu exército” (eleitores) e ataque o inimigo (“eleitores do partido rival”).
  • E se a política fosse a amizade continuada por outros meios?
  • E se o trabalho fosse, apenas, um meio para alcançar uma vida digna?
  • E se o lazer fosse muito mais do que momento de descoberta do outro do que a leitura de fake news?

Cuidado!

Sempre quando você chama o outro de “irmão”, vocês estão numa “irmandade”, o que implica em “excluir” os demais.

  • Saiba que a vida é dinâmica: Uma constante inclusão e exclusão do outro. Noutras palavras: Nenhuma inimizade ou opinião desrespeitada é para sempre. Até porque você, às vezes, sente mais afinidade com Pedro do que João. E está tudo certo, porque tudo se transforma.

Imagine a Greenplace assim:

Um espaço onde empreendedores, artistas e movimentos sociais têm acesso a um conjunto de recursos intelectuais, mentores e um clima de colaboração (com outros empreendedores) para errar e pivotar a estratégia até conseguir inserção no mercado.


Ser esforçado, ser esperto e contar com o apoio necessário faz mais diferença do que, apenas, ser esforçado. É isso que separa, por exemplo, um Jorge Paulo Lemann do empresário meramente caprichoso.

Não existem muitos gênios na elite econômica do mundo! Partimos de uma mesma base biológica (genótipo) com mínimas diferenças.

Às vezes, tudo depende do contexto.

Imagine você contribuir com o sucesso do seu vizinho, seja de outro partido, cultura ou religião.