Vitória vibrante

Queria começar esse texto avisando que, por motivos maiores, não consegui assistir o jogo de ontem, do qual o Palmeiras acabou saindo vitorioso, mesmo que na raça e no coração, nem tanto na qualidade, diante do competente time do Fluminense. Mas vi os melhores momentos e queria fazer um textão para falar um pouco das minhas impressões.

Primeiro que estamos com técnico interino, pelo menos por enquanto. Acredito que no próximo jogo, diga-se de passagem muito difícil, contra o Grêmio, lá em Porto Alegre, vamos ter Marcelo Oliveira no comando. Tomara que sim.

Agora, falando um pouco do jogo. Achei bem fraco tecnicamente, muito feio mesmo. Feio porque o gramado dificultou muito, é realmente lamentável e vergonhoso o que vimos no domingo. É inadmissível que tenhamos um estádio, que ao meu ver é um dos mais belos e modernos do Brasil, ter um pasto daqueles. Vergonha. Mas, tirando essa baixa, foi um jogo disputado, Palmeiras enfrentou um time bem montado, com jogadores competentes, mesmo que sem Fred, o principal jogador do Fluminense.

O 1º tempo foi deles. O Fluminense conseguiu atacar com mais eficiência, chegando ao ataque com perigo, sempre com Gerson e com o veterano, porém digno, Magno Alves. E foi com o Jean, ótimo volante, que o Fluminense abriu o placar na Allianz, depois de um ataque muito bem armado pela equipe carioca. O Palmeiras vem enfrentando o tão famoso problema de atacar, atacar, atacar, mas não chutar, não mostrar perigo algum ao goleiro adversário. Isso é um problema que Marcelo Oliveira, pela competência que tem, vai solucionar ao decorrer do trabalho. Foi só no último minuto do 1º tempo que o Palmeiras achou um gol, um escanteio chutado por Cleiton Xavier, cabeçada de Rafael Marques. Era o gol que poderia trazer um ânimo a mais pro time pro 2º tempo.

Fluminense veio fechadíssimo para a segunda etapa, explorando os contra-ataques, porque é um time bem veloz e poderia fazer o segundo gol e se fechar ainda mais, saindo assim com o resultado positivo. Mas não foi isso que aconteceu. Não sei bem se o árbitro acertou ou não nas expulsões. Eu vi o lance das duas expulsões. Acho que foi motivo para vermelho só no caso do Magno Alves. Entrada dura no Gabriel, que é um baita de um volante. A outra expulsão, do Gum, não sei se foi motivo para vermelho, achei que o árbitro pegou pesado com o zagueiro tricolor.

Bem, com as expulsões, o Fluminense, óbvio, não teve muita saída a não ser se defender e chutar a bola para onde ela fosse. Era a única alternativa.

Palmeiras com Alecsandro, Rafael Marques e Cristaldo na frente, agredindo muito, que era o máximo que nós poderíamos esperar de uma equipe com dois homens a mais. Foi quase nos últimos minutos que o Cristaldo, esse cara que caiu nas graças da torcida palmeirense, fez o gol que daria a vitória ao Palmeiras, matando de vez o time carioca. Foi chorado, sofrido, mas com raça e, principalmente, com muita vontade de vencer.

Uma observação importante é que foi a primeira vitória do Palmeiras em campeonato brasileiro na Allianz. Sim, o clube não tinha vencido na Allianz, em jogo valendo pelo brasileirão. Que venham mais vitórias como essas, que o time possa mudar, porque precisa. E que o Marcelo Oliveira, ótimo treinador ao meu ver, seja feliz por aqui. Acredita que será, porque tem um time excelente em mãos, que tem qualidade para ser campeão da Copa do Brasil e pode beliscar, sim, uma vaga para a Libertadores.

Torceremos.