Seja forte

Você vai precisar…

Um belo dia, pela janela do quarto, você vê o Sol nascer e se percebe disposta a tirar das costas alguns fardos (ser sempre forte, conter as emoções…).

Decide não ter mais vergonha de chorar na frente dos outros, e abraçar forte quem te faz sentir saudade (em vez de, no dia do reencontro dizer um simples “Oi” acompanhado de um sorriso tímido, vai dizer: “Que bom que você veio!”).

Você, que sempre se sentiu aflita ao pisar no chão com os pés descalços, decide pisar na grama do parque onde passou a infância e aproveitar o sol de uma tarde quente.

O problema é que nesse dia, em que você decide tudo isso, a vida manda um recado, avisa que seus planos deverão ser adiados; você precisará continuar a ser forte (ou pelo menos continuar a fingir que é).

Porque, quando você menos esperar, seu rosto será esquecido, seu nome não será lembrado, você será definitivamente apagada da memória de quem representa algo na sua vida.

Quando as coisas chegarem a esse ponto, a única pessoa que vai afagar seu rosto e te acolher é a doce menina que você foi um dia. Ela sim, sempre estará com você.

_________________

Eu dedico esse texto a todas as pessoas que têm alguém querido perdendo suas faculdades mentais (em virtude de alguma doença degenerativa). Sejam fortes (na medida do possível).

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.