O QUE É A NOVA ECONOMIA?

Depois de ler este artigo, você vai entender o que considero Nova Economia e o porque resolvi escrever aqui sobre isso… Mas para compreender isso a partir do meu ponto de vista, é necessário fazer uma retrospectiva dos meus últimos anos.

Essa história tem inicio há um pouco mais de 03 (três) anos, quando, cansado de trabalhar em um grande escritório de advocacia, passei a questionar o modelo que estava inserido, bem como o rumo que as coisas estavam tomando.

Havia muitas coisas que não concordava, desde a hierarquia cega, que fazia com que uns, nem sempre mais competentes, pudessem cobrar e mandar na vida de outros, além de perceber que grande parte das pessoas que realizam o verdadeiro trabalho não participam das decisões que influenciam em seus dia a dia e, ainda, perceber a infelicidade de grande parte dos superiores, de modo que não fazia sentido almejar os seus lugares.

Depois de um bom tempo nesse conflito, decidi deixar a vida de escritório e arriscar no mundo do empreendedorismo! A primeira parada foi em um Hostel (Bread and Breakfast), o Corcovado Rio, construído na casa do pai de um grande amigo, que estava precisando de uma nova gestão.

Sem romantismo! A jornada de empreendedor não é fácil! É uma verdadeira busca de autoconhecimento. Todos os seus defeitos são expostos e é necessário trabalhá-los para continuar seguindo, caso contrário permanecerá parado, estático, em loops eternos de lamentações e em tentativas vãs de encontrar culpados externos.

Quem empreende acredita que faz a própria realidade, e, portanto, não há quem culpar, nem a si mesmo, e sim algo a ser aprendido, a vida do empreendedor se resume em aprender, aprender e aprender. Um grande laboratório, em que o que vale é a “experiência do usuário” (rs).

Quando me refiro a usuário, não estou falando de “clientes” ou “consumidores”, estou falando do próprio empreendedor! O desafio é encontrar o fino ajuste entre seu propósito de vida e uma necessidade real do mundo! Nesse momento, a experiência do empreendedor na terra fará todo sentido.

É aí que está o grande tesouro de empreender! Quando empreendemos com propósito, estamos acordados, estamos conscientes, e aproveitamos cada momento na caminhada, não ficamos preguiçosos ou poupamos esforços, o que importa não é apenas o resultado, mas o próprio fazer.

São incontáveis os planos, projetos, planejamentos, sonhos, parcerias que surgem e evaporam.

Mas a cada mudança, ficamos mais fortes, mais maduros, mais sábios e se analisarmos com calma, percebemos que não estamos andando em círculos, mas sim em uma espiral! A cada volta estamos uma escala acima, expandindo cada vez mais!

É nesse momento que me encontro! No início de mais uma volta! Cheio de energia para “recomeçar”! E aqui, neste espaço de escrita, gostaria de dar visibilidade a tudo que apareceu e aparecerá nesta jornada.

Na experiência do Hostel, além de se revelarem muitas limitações e aprendizados, um novo mundo também se mostrou para mim. Naquela ocasião, um grupo que frequentava a Casa Colaborativa Catete92, estava procurando um novo lugar para a iniciativa, uma vez que a casa do catete teria que fechar.

Naquela oportunidade, criamos o Transborda92 que era um espaço colaborativo que funcionava de maneira híbrida com o Hostel, dividindo os espaços, evitando a ociosidade. O experimento durou 04 (quatro) meses e acabou por divergências de visões com os demais sócios do Hostel.

Com a saída do Transborda92, eu também me afastei da gestão do Hostel, continuando apenas com uma participação nos resultados e apoiando em alguns pontos específicos (Se quiser fazer uma festa de aniversário, pode me procurar, que não há lugar melhor do que lá!).

Porém, como é dito, uma mente que se expande jamais pode voltar ao seu tamanho original. Com o pessoal da Casa Colaborativa, Eu havia entrado em contato com diversas metodologias, conhecimentos, formas de pensar, que jamais havia ouvido falar, e aquilo realmente tinha expandido minha percepção.

Daquele momento em diante, passei a pesquisar várias metodologias que havia entrado em contato: Dragon Dreaming, Sociocracia 3.0, Fluxonomia, Comunicação Não Violenta, Justiça Restaurativa, Constelações Sistêmicas, Design Thinking, Lean Startup, e vários outros.

Nessa pesquisa, muitas e muitas coisas aconteceram!

Morei em um coliving (ou comunidade intencional), a Maracasa, que visava rediscutir as relações entre os seres humanos e com o ambiente, na vida da cidade.

Tentamos criar uma Associação sem fins lucrativos de empreendedores, pautada em um Estatuto elaborado de forma horizontal, sem cargos, mas sim com papeis, participando do programa do Startup Rio!

Fizemos parte também do SGB LAB de 2016, organizado pelo Social Good Brasil — SGB, com uma ideia de software para gestão colaborativa de fundos, fizemos toda a jornada em que através do Design Thinking e LeanStartup ajudam a estruturar um negócio social.

Houve mais uma tentativa de criar uma casa colaborativa, Tâmara, em Ipanema, na Casa7, que acabou não vingando por falta de acordo com os proprietários.

Enfim, muita coisa surgiu e aconteceu, e é daí que vem a vontade de compartilhar esse percurso que ainda está só no início!

Hoje, estou apoiando o Espaço C, que é a Sede da Social Contemporâneo e do Fala Brasil, um local na Vila do Largo em que se dá oportunidade de utilização para iniciativas interessantes, seja com espaço para trabalho diário (coworking), seja com espaço para eventos pontuais.

Lá já ocorrem diversos movimentos de mudança, através de oficinas, workshops, cursos, sobre os quais também pretendo escrever aqui!

A ideia deste espaço virtual é dar transparência, conectar e registrar, dar memória, a iniciativas legais, inovadoras e que visão construir novas realidades, novos paradigmas!

Se você tiver uma iniciativa e gostaria de divulgar, gostaria de dar visibilidade através de um artigo ou de alguma maneira que gostaria de propor, entre em contato, comente, ou apareça no Espaço C para trocar uma ideia!

A vontade aqui é pensar estratégias para dar visibilidade para coisas legais que estão rolando e precisam ser conhecidas pelo máximo de pessoas!!!

Aprendemos muitas coisas, sobre novos formatos que desafiam a hierarquia, as decisões top down, trazendo horizontalidade e equivalência para o processo decisório. Também aprendemos sobre Economia Criativa, Colaborativa, Compartilhada e Multimoedas 4D. Investigamos diversas ferramentas para trazer consciência para co-responsabilização financeira de espaços e eventos. Vimos modelos que visam diminuir a segregação do ser humano em vários, trazendo um ser mais integral e único.

Cada projeto, cada iniciativa, nos trazem mais informações e mais desafios e dúvidas sobre esse novo mundo que está surgindo da transição que estamos passando!

Sendo assim, a Nova Economia não dá para ser resumida… Porque ela é o que está sendo feito agora e que vai moldar o mundo daqui para frente! É empreender com propósito, é empreender a si mesmo!

Só nos basta compartilhar e dar visibilidade aquilo que queremos! Se sentir chamando mande uma mensagem!

Like what you read? Give Lucas Portella a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.