Quem são os oradores das Novas Conferências do Casino?

[2017] Tecnologias Digitais e Promoção das Aprendizagens

Oradores da edição de 2017
As Novas Conferências do Casino são uma parceria da Secretaria Regional de Educação da Região Autónoma da Madeira com o Diário de Notícias da Madeira, sob a temática geral ‘Educação e Sociedade’. De 2016 a 2019, decorrem no Centro de Congressos do Casino da Madeira e apresentam temas anuais específicos.

Neuza Pedro

Doutorada em Educação na especialidade TIC na Educação com Mestrado em Psicologia da Educação e Licenciatura em Psicologia. É Professora do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

Neuza Pedro

“Aprendizagem na era digital: mudanças cognitivas, tecnológicas, metodológicas e ambientais”

A profusão das tecnologias digitais, e dos avanços tecnológicos que lhes servem de substrato, clamam por sérias mudanças nas práticas e contextos educativos. Com base nas ‘lições aprendidas’ do acompanhamento de projetos nacionais e internacionais relativos à integração educativa das tecnologias em contexto escolar, procura-se elencar as principais mudanças que se revelam importantes de implementar no dia a dia escolar, atendendo a quatro dimensões:

  • cognitiva, considerando a(s) forma(s) como a aprendizagem ocorre;
  • tecnológica, abordando diferentes ferramentas a ser mobilizadas;
  • metodológica, com foco posto nas ‘novas’ metodologias de aprendizagem ativa;
  • e ambiental, explorando o impacto que o espaço exerce sobre o processo de ensino-aprendizagem.

Elsa Fernandes

Professora e Investigadora na área da Didática da Matemática. Doutorada em Educação — Didática da Matemática. É Vice-reitora da Universidade da Madeira.

Elsa Fernandes

“Aprender Hoje — Desafios e Oportunidades”

Nas últimas décadas do século XX, as tecnologias digitais foram entrando nas nossas vidas e modificando a nossa forma de comunicar e de ‘estar’ neste mundo. A nossa forma de viver alterou-se e também as vivências das crianças e jovens atuais, cujas necessidades mudaram profundamente. A forma de aprender e o que é importante aprender não é o mesmo que era outrora. Consequentemente, a Escola e o seu papel na sociedade atual têm que ser repensados. O papel das tecnologias nos cenários de aprendizagem da Escola de Hoje também tem que ser questionado. Estas e outras questões serão abordadas nesta comunicação.

Carlos Cunha

Licenciado em Engenharia Química, no Instituto Superior Técnico, Mestrado em Física Laboratorial, História e Ensino da Física, pela Faculdade de Ciências e Tecnologia, da Universidade Nova de Lisboa. É professor de Física e Química na Escola Secundária Dom Manuel Martins, em Setúbal.

Carlos Cunha

“Sala de Aula do Futuro (SAF) – Espaço inovador de aprendizagem”

Pretende-se mostrar a SAF, a sua constituição, a dinâmica de funcionamento e a forma como cada escola poderá adotar este equipamento como meio para alterar as práticas pedagógicas na sua Comunidade escolar. São ainda feitas referencias à metodologia de Inquiry-based learning (IBL) bem com à articulação curricular que é estimulada neste espaço de aprendizagem.

Emanuel Garcês* & Magda Ascensão**

*Docente do Grupo de Informática, com formação inicial em Ensino de Informática pela Universidade da Madeira, Mestre em Educação e Tecnologias Digitais no Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

**Docente do Grupo de Informática, com licenciatura em Ensino de Informática pela Universidade da Madeira. Leciona desde 2009, em escolas públicas da RAM.

Magda Ascensão & Emanuel Garcês

“A esfera tecnológica da Educação na RAM (Robótica, Impressão 3D, Realidade Virtual e Aumentada)”

Desde 2016 a Secretaria de Educação embarcou neste desafio de procurar caminhos para promover aos jovens em fase escolar, melhores condições de competitividade no mundo globalizado e renasce o CAP3R como esfera tecnológica da Educação na RAM (Robótica, Impressão 3D, Realidade Virtual e Aumentada). Atualmente, menos de um mês após o começo de ano letivo já contamos com 20 requisições de equipamento e mais de 8 demonstrações/workshops (dados deste ano relativos a requisições e demonstrações) o que nos dá algum reconhecimento legitimo do trabalho de proximidade que temos desenvolvido com as escolas e alunos.

Vasco Cunha

Professor do Ensino Básico, variante Matemática e Ciências da Natureza e Mestre em Ciências da Educação, pela Universidade Católica Portuguesa e em Administração Pública pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. É coordenador do “Programa Educamedia” e faz parte da equipa de desenvolvimento das atividades TIC nas escolas da RAM.

Vasco Cunha

“O papel das tecnologias, dos media e dos audiovisuais na escola — casos práticos”

O objetivo da comunicação é contribuir para uma melhor compreensão dos fatores que podem melhorar a incorporação das tecnologias, dos media e dos audiovisuais na escola, por forma a maximizar a aprendizagem dos alunos.

Pretende-se também dar a conhecer casos práticos, em concreto o Programa Educamedia, que visa introduzir novos métodos pedagógicos na sala de aula, promover novas técnicas de ensino e formas alternativas de aprendizagem ativa, através do contacto com as tecnologias de informação e Comunicação (TIC), os media e com o audiovisual. Desta forma, conclui-se que o Educamedia, através dos seus projetos tem sido uma mais-valia, para além de potenciar o uso das tecnologias na escola, vai também ao encontro das necessidades escolares educativas a nível de formação para a cidadania e educação para os media.

Nuno Nunes

(Professor Catedrático do Departamento de Engenharia Informática do IST, membro da direção da Agência Regional para IDT+I da Madeira e Professor Convidado da U. de Carnegie Mellon. Dirige o Madeira-ITI uma unidade autónoma integrada no Laboratório Associado de Robótica e Sistemas de Engenharia (LARSYS) com o ISR, IN+ e MARETEC).

Nuno Nunes

“Digital Bauhaus — os desafios do ensino dos nativos digitais”

Nesta comunicação farei uma breve resenha histórica das tecnologias digitais e do seu impacto a vários níveis da sociedade. A partir do inicio do Sec. XXI estas tecnologias tornaram-se praticamente ubíquas nos países desenvolvidos. As crianças nascidas nos últimos 10/15 anos são consideradas nativos digitais mas grande parte dos agentes educativos e do próprio sistema de ensino foram estruturados na era pré-digital. Este conflito domina grande parte do discurso actual sobre temáticas como as qualificações, a quarta revolução industrial e os efeitos sociais e políticos das tecnologias digitais. A Bauhaus foi um projeto grandioso que procurou combinar as duas faces do iluminismo, a utilidade da tecnologia e das ciências com as expetativas dos valores, da arte, dos ideais estéticos, da política e da ética. Nesta comunicação procurarei lançar a discussão sobre o que seria uma Digital Bauhaus em Portugal e o seu papel transformador numa sociedade em processo de recuperação.