Por que cuidar da sua saúde financeira?

O que vem à sua cabeça quando escuta o termo saúde financeira? Pode ser que os seus pensamentos sejam levados a planilhas, controle minucioso de gastos ou mesmo falta de espontaneidade para aproveitar a vida… Mas nada poderia estar tão longe da verdade!

Dizer que alguém conquistou a saúde financeira é o mesmo que dizer que ele assumiu o controle sobre o seu dinheiro e o colocou para cumprir a sua função mais importante: que é ajudá-lo a conquistar os seus sonhos. Neste texto, vamos mostrar que esse conceito está muito mais ligado a palavras como equilíbrio e bem-estar do que a sacrifícios. Confira!

Para começar, pense na sua própria saúde…

Muito mais do que ter um corpo perfeito, cada vez mais os profissionais da saúde defendem que o intuito de praticar exercícios e comer com qualidade é viver bem. Ou seja, estar com a saúde em dia, ter mais disposição para fazer o que gosta e se divertir. A relação que se propõe aqui, portanto, é muito menos de cortes bruscos e mais de equilíbrio.

Levar um estilo de vida saudável não precisa impedi-lo de sair para tomar sorvete, aproveitar o domingo no sofá com um pote de pipoca ou pular a atividade física uma vez ou outra porque está frio. E isso vale também para a sua vida financeira. Ninguém deseja que você deixe de fazer tudo aquilo que gosta, muito pelo contrário: construir uma relação harmoniosa com o seu dinheiro serve para dar muito mais gás aos seus objetivos.

E como?

“Ao conquistar esse equilíbrio, as finanças deixarão de ser uma preocupação e passarão a ser o caminho para que você chegue onde deseja. Esse é objetivo de tudo”, explica Oyvind Oanes, CEO da Centralway Numbrs, aplicativo europeu especializado em gestão financeira pessoal.

Se você não precisa mais ver o seu dinheiro ir embora porque calculou mal os gastos no cartão de crédito e entrou no rotativo ou cancelar a compra da TV nova porque percebeu que não sobrou dinheiro, você vai poder começar a colocar os seus planos em prática. Ou seja, planejar a troca de carro, a pós-graduação, a festa de casamento ou a viagem em família.

E não pense que para isso você precisará cortar todos os seus gastos. Essa não é a ideia. Existe uma regra chamada 50/30/20 — aqui você entende melhor como organizar seu orçamento https://medium.com/numbrs-brasil/7-dicas-para-organizar-o-or%C3%A7amento-b48996fe637c — e o que ela diz é que, no projeto ideal, 50% dos seus gastos seriam destinados às despesas essenciais (aluguel, luz, água…), 30% aos chamados supérfluos (lazer, compras pessoais…) e 20% para as suas reservas financeiras.

Ou seja, 30% de tudo o que você ganha ainda seria reservado para você fazer aquilo que gosta: comprar uma blusa nova, ir ao cinema ou sair para jantar. O mais importante aqui é aprender a aproveitar a vida dentro da sua capacidade de pagamento e entender, de uma vez por todas, a importância de criar reservas financeiras — pensando nos seus objetivos de curto, médio e longo prazo.

Pode parecer difícil fazer as contas e colocar esse planejamento em prática, mas existem diversas ferramentas para fazer isso. Aquele antigo bloquinho de anotações pode dar lugar a uma ferramenta mais fácil e prática, como o app Numbrs. Depois de tomar a decisão de assumir o controle sobre o seu dinheiro, será muito mais fácil deixar as preocupações para trás e pensar no futuro — e o melhor, sem sacrificar o presente.