Primavera com sabor de Amora

Ela passou por aqui outra vez

Caminhou entre as linhas

Deixou diversas pegadas entre as vírgulas,

Nunca havia visto

Mas sabia que era ela, pelo seu perfume feminino,

Com teu aroma frutífero.

Todos já a conhecia, apenas eu nunca havia visto,

Ela sabia o quanto eu ansiava por ela

E fazia questão de aparecer só na primavera,

Na ultima não floresci e por isso não a vi,

Parece fazer tanto tempo

Mas foi agora no inverno

Passou rapidamente sem avisar

Mais desta vez deixou uma carta que falava para aguardar

“Me aguarde, na primavera eu vou florescer com você”

A carta era perfumada e carregava a assinatura dela

E agora pude saber que Amora era o nome daquela,

A dona da minha primavera.