Quem verdadeiramente é você?

Eu gostaria de contar uma história pra vocês amigos leitores, que um grande amigo me contou a uns 5 anos atrás, e essa história transformou a maneira que eu me vejo e de quem eu sou ou busco ser.

“Era uma vez, um velho camponês muito bonzinho, este camponês era conhecido em todo seu vilarejo, todos o conheciam, pois ele era um homem muito bom, pagava todos os seus impostos e nunca atrasava, ajudava a todos quanto podia, repartia seus alimentos com os pobres, era um homem fiel a sua esposa, era um homem exemplar, pescador e toda vez que saia para pescar, repartia com todo o vilarejo o que havia pescado e sem cobrar nada e sem esperar nada em troca, e nessa época havia um imperador muito mau, perverso, destruía vilarejos e matava famílias inteiras a sangue frio só por atrasar os impostos, era um homem sem sentimento, intolerante. Um belo dia o velho camponês em sua rotina de pescaria, lança sua rede e quando olha para o mar, ele percebe algo estranho no fundo, algo brilhava muito em baixo d’água e ele por sua vez não pensou duas vezes, aproveitou que o lugar onde estava era raso, e pulou e nadou até onde estava brilhando, pegou e quando subiu para a superfície viu que se tratava de um anel, era lindo e tinha um emblema místico e resolveu por em seu dedo, assim que ele colocou o anel por inteiro algo impossível e extraordinário aconteceu, ele ficou totalmente invisível, percebendo isso não pensou duas vezes, foi correndo até o castelo desse imperador, arrancou sua cabeça e estuprou a sua esposa.”

Moral da história, quem é você quando tem poder sobre suas mãos, será que você seria a mesma pessoa boa que você se considera ou despertaria um ser apagado dentro do seu consciente, seria perverso e maldoso? Devemos tomar cuidado porque a ganância e a vaidade bate na porta de todos, devemos nos prevenir para nunca esquecermos de onde viemos e quem somos, só porque temos um cargo grande ou estamos em lugares altos, que a humildade, a ética, a verdade e outras qualidades boas estejam sempre em seu pensamento, reflita, não deixe que nada e nem ninguém mude o que é bom dentro de você, seja você mesmo sempre!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.