Alexis Peixoto
Jun 7 · 6 min read

Entre longas, médias e curtas metragens, selecionamos algumas pepitas da 11ª edição do festival, que rola de 12 a 23 de junho, em São Paulo.

No próximo dia 12 de junho começa oficialmente em São Paulo a 11ª edição do In-Edit — Festival Internacional do Documentário Musical. Como sempre, o festival traz uma vasta e suculenta seleção de longas, médias e curtas metragens sobre música, sem preconceito de estilo. As exibições rolam em vários espaços até o dia 23 de junho e boa parte das sessões é gratuita.

Este ano, só pra variar, passamos um pente fino na programação do festival e selecionamos alguns filmes que queremos ver. A seleção propositalmente desvia de alguns títulos que devem ser os blockbusters do festival — além dos listados abaixo, o programa traz filmes sobre Joan Jett, New Order, entre outros que também valem o saque.

Na real, nosso propósito é menos criar um guia definitivo do que estimular o olhar cuidado sobre a programação do festival. Não confie (muito) na gente: Acesse o site do In-Edit e faça você mesmo o seu roteiro.

Aos que estão fora de São Paulo, um toque: muitos dos filmes indicados aqui também estão programados para entrar no SPCine Play, plataforma de streaming do projeto SPCine.

Pra conferir nossas dicas, siga o baile:

Alceu Valença — Na Embolada do Tempo

A trajetória de Alceu — e, por tabela, do levante nordestino que invadiu a música brasileira nos anos 70 — na voz do próprio. Espere muitos causos, delírios poéticos, depoimentos de amigos e parceiros e imagens raras, na cadência psicodélica e cabeluda do pernambucano.

Direção: Paola Vieira
Sessões: CineSesc: 14/06–21h15 | Sessão seguida de debate com a diretora e o músico Alceu Valença / Spcine Olido: 15/06–19h | Sessão com presença da diretora/ Spcine Lima Barreto (CCSP): 19/06–16h

Desolation Center

A história de como um bando de punks começou a organizar shows no deserto de Mojave pra fugir da repressão policial e acidentalmente criou um modelo de festival ao ar livre mais tarde copiado por grandes eventos como Lollapalooza e Burning Man. Minutemen, Sonic Youth, Meat Puppets e Redd Kross são alguns dos que aparecem em imagens de arquivo e/ou depoimentos atuais sobre essa doidera toda.

Direção: Stuart Swezey
Sessões: Spcine Olido: 13/06–15h / Spcine Lima Barreto (CCSP): 14/06–18h/ Cinemateca Brasileira: 20/06–14h

E Antes Que Me Esqueçam, Meu Nome é Edy Star

Amigo de adolescência de Caetano Veloso, parceiro de Raul Seixas e último membro vivo da Sociedade da Grã-Ordem Kavernista. Edy Star, o mais genuíno roqueiro glam brasileiro, passa a limpo sua trajetória singular com depoimentos de própria voz e de amigos próximos. O filme ainda inclui o registro de uma sessão de estúdio dirigida por Zeca Baleiro, em que o artista revisita algumas músicas significativas de sua carreira.

Direção: Fernando Morais
Sessões: CineSesc: 16/06–17h | Sessão com presença do diretor e de Edy Star. / Spcine Lima Barreto (CCSP): 18/06–18h / Spcine Olido: 21/06–19h

Feito por Elas

Retrato atual e necessário da rica produção roqueira, feminina e feminista no undeground paulistano. São Paulo, diga-se, serve apenas de recorte espacial, já que o filme conta com depoimentos de artistas de outros lugares (como Cris Botarelli e Emily Barreto, ambas do Far From Alaska, e Pitty) mas que residem e/ou produzem na capital e arredores.

Direção: Bárbara Ramona, Vanessa Pereira
Sessões: Cine Matilha: 13/06–18h / Spcine Lima Barreto (CCSP): 19/06–18h / Spcine Play (streaming): a partir de 13/06.

Guitar Days — An Unlikely Story of Brazilian Music

No começo dos anos 1990, uma nova geração de bandas apareceu no Brasil tocando alto e cantando em inglês. Pin Ups, Killing Chainsaw, Pelvs e outros luminares dessa cena passaram longe das vistas do grande público, mas os efeitos daquele atrevimento encharcado em microfonia reverberam no indie nacional até hoje — vide o depoimento de bandas bem mais novas que seguem carregando a pira dos precursores.

Direção: Caio Augusto Braga
Sessão: CineSesc: 15/06–15h / Spcine Olido: 18/06–15h / Spcine Lima Barreto (CCSP): 22/06–16h | Sessão seguida de show com as bandas Pin Ups, Wry, Twinpines e Sky Down, na Sala Adoniran Barbosa, às 18h30.

Faz Sol Lá Sim

A música como condutor da educação e motor da transformação de vida, a partir da história de cinco bandas filarmônicas do interior de Alagoas. Boa oportunidade de deixar a música pop um pouco de lado e conferir a programação do In-Edit dedicada à outros sons, outras batidas, outras pulsações.

Direção: Claufe Rodrigues
Sessões: Cine Matilha: 14/06–20h / CineSesc: 17/06–15h / Spcine Lima Barreto (CCSP): 23/06–16h

Meu Amigo Fela

Fela Kuti, o inventor do afrobeat, já ganhou um documentário fundamental, o ótimo Music is the Weapon, de 1982(disponível na íntegra no Vimeo, por sinal). Aqui, a história da vida e obra do músico é contada a partir do depoimento de seu biógrafo e amigo, Carlos Moore, bem como de outras pessoas que o conheceram. Além de causos curiosos sobre a música e a lenda, o filme também mostra a relevância e influência da obra de Fela na Nigéria de hoje.

Direção: Joel Zito Araújo
Sessões: CineSesc: 15/06–19h | Sessão com presença do diretor / Spcine Olido: 16/06–18h | Sessão seguida de debate com o diretor. / Spcine Lima Barreto (CCSP): 21/06–16h

História Secreta do Pop Brasileiro

Na real não é um longa, mas uma série em sete partes dirigida por André Barcinski que propõe jogar luz em alguns episódios insólitos e pouco conhecidos da história do pop brasileiro. Falsos cantores gringos, discos-fantasmas e a incrível história da banda que gravou 50 mil músicas em três décadas são alguns dos causos relatados aqui.

Direção: André Barcinski
Sessões: CineSesc: 17/06–21h15 [Episódios 1 a 3] | Sessão seguida de debate com diretor / Spcine Olido: 22/06–15h [ Parte 1: Episódios 1 a 4 ] /
Spcine Olido: 22/06–17h [ Parte 2: Episódios 5 a 8 ] | Sessão seguida de show com a banda Sunday, na Sala Olido, às 19h30. / Cinemateca Brasileira: 23/06–18h [ Parte 1: Episódios 1 a 4 ]/ Cinemateca Brasileira: 23/06–20h [ Parte 2: Episódios 5 a 8 ] / Spcine Play (streaming): a partir de 13/06. [ Partes 1 e 2 ]

Sound System — A Voz da Quebrada

A história da cena de sound system no Brasil, desde as primeiras equipes formadas nos anos 1970 até a turma que mantêm a cena viva até hoje. Ativismo cultural, resistência, produção independente e muito dub, reggae e ska marcam presença em um dos filmes mais interessantes a pintar na programação deste ano.

Direção: Fernando Augusto Silva
Sessões: Cine Matilha: 14/06–18h / Cinemateca Brasileira: 22/06–17h | Após a sessão, Festa Sound System, na área externa da Cinemateca, às 19h30. / Spcine Play (streaming): a partir de 13/06.

Rádio S.Amb.A DOC

Em 2020 completam-se vinte anos de Radio S.Amb.A, primeiro disco da Nação Zumbi sem Chico Science. Na época visto como um trabalho menor e ainda muito marcado pelo trauma, o disco ganha uma merecida celebração neste média metragem, que reúne todos os personagens envolvidos na criação e produção das canções, bem como os lugares de Recife que serviram de inspiração.

Direção: André Almeida
Sessões: Cine Joia: 13.06–22h30 | Exibição do documentário, seguida de show com a banda Nação Zumbi, às 23h / Matilha Cultural: 15/06–20h — Após a sessão, debate com o diretor / CCSP — 21/06–18h

Beat É Protesto — O Funk Pela Ótica Feminina

Há quem diga que o funk é a coisa mais punk rolando no Brasil de hoje. No filme de Mayara Efe Efe, os olhares se voltam para a produção feminina do gênero em São Paulo e suas protagonistas que estão no palco, produzindo eventos, empresariando artistas ou dançando.

Direção: Mayara Efe Efe
Sessões: Cine Matilha: 13/06–18h / Spcine Lima Barreto (CCSP): 19/06–18h / + Spcine Play (streaming): a partir de 13/06.

Miles Davis: Birth of Cool

Um dos maiores desbravadores sonoras a caminhar pela Terra, Miles Davis forçou todos os limites do jazz e mudou a história da música pop para sempre. Este doc, que estreou em Sundance este ano, passa a limpo todas as fases da inacreditável trajetória do músico, em toda a sua ousadia, porralouquice e genialidade.

Direção: Stanley Nelson
Sessões: Cinemateca Brasileira: 15/06–20h / CineSesc: 18/06–21h15

O Inimigo

O som que o outro lado faz.

Alexis Peixoto

Written by

Jornalista, tradutor.

O Inimigo

O Inimigo

O som que o outro lado faz.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade