PARA DAR MORAL! Botafogo joga para frente, vence e põe um pé no mata-mata

Moacir Júnior apostou em três atacantes e se deu bem; vitória deixa time a um empate da próxima fase

Wesley recuperou-se de lesão, recebeu a confiança do treinador e sacramentou a vitória (Foto: Rogério Moroti/Agência Botafogo)

Os pedidos incessantes do blog de coragem ao treinador botafoguense Moacir Júnior demoraram a se materializar, entretanto, surtiram efeito na hora certa. Na noite deste domingo (26), em Campinas, jogando com três homens na linha de frente, o Botafogo derrotou o Red Bull Brasil pelo placar de 2 a 0.

No estádio Moisés Lucarelli, onde só era possível ouvir a torcida do Pantera, a equipe teve um segundo tempo primoroso e nele construiu seu triunfo, o qual pôs fim ao jejum de vitórias fora de casa.

Abrindo três pontos do Ituano, 3º colocado do Grupo A, o Pantera precisa de apenas um empate na última rodada para assegurar vaga nas quartas de final do Paulistão de 2017. Na quarta-feira (29), às 21h45, no Santa Cruz, enfrenta a Ferroviária em duelo que tem tudo para ser um jogo de compadres.

Ademais, o rebaixamento ficou para atrás e o Botafogo Futebol Clube estará no lugar merecido, a elite do estadual, no ano de seu centenário.

O JOGO

Na entrevista coletiva pré-jogo, o treinador botafoguense Moacir Júnior disse que poderia fazer a equipe jogar de maneira mais ofensiva ou precavida dependendo dos resultados dos rivais do Grupo A. Aproveitando os tropeços de São Bernardo e Ituano, Júnior soltou sua equipe, escalando o Tricolor no 4–3–3 com Kaue, autor do gol contra o São Paulo, ao lado de Francis e Marcão. Além disso, Diego Pituca de volante (e bem por ali).

Do outro lado, Alberto Valentim, do Red Bull Brasil, também precisava fazer sua equipe jogar para frente em busca da vitória, a qual manteria o time em condição de classificar à segunda fase e espantar o risco do rebaixamento.

Apesar das promessas de duelo intenso e ofensivo, o primeiro tempo teve equilíbrio, porém foi morno repleto de erros de passes, tentativas de lançamento e poucas chances criadas. Em casa, apesar do barulho superior da torcida botafoguense, o Toro Loko controlou posse de bola (56% do tempo) e conseguiu os principais arremates.

Aos 16 minutos, Filipe furou e a bola sobrou limpa para Alison, que tocou para Rodrigo chutar de primeira ao lado da meta de Neneca. Aos 19, Kaue respondeu, escapou da marcação e concluiu em cima da zaga.

Aos 39, Rodrigo arriscou da ponta direita da área, Neneca espalmou para frente e Luan, atrapalhado pelo marcador, não aproveitou o rebote. Na última oportunidade da etapa inicial, Luan aproveitou chutão e bateu cruzado da ponta esquerda da área para bela defesa de Neneca.

Para o segundo tempo o Pantera voltou a fim de jogo e não demorou a abrir o placar. Aos 10, Rafael Bastos deu linda levantada na bola, vencendo a defesa do Red Bull. Em posição legal, Marcão deu um toquinho, tirou do goleiro que saía e finalizou, a bola bateu em Lucas Taylor e morreu no fundo das redes.

Marcão não aguentou a euforia e tirou o manto tricolor (Foto: Rogério Moroti/Agência Botafogo)

A vantagem encheu os botafoguenses de confiança. Aos 14, Kaue sofreu falta na entrada da área. Rafael Bastos cobrou por cima da barreira e a bola passou bem próxima ao gol de Daniel.

O mandante tentava responder e apresentava grandes dificuldades. Alberto Valentim trocou sua referência ofensiva: entrou Elton, saiu Rodrigo. Já prevendo o avanço do adversário, aos 25, Moacir Júnior sacou Kaue e colocou o volante de contenção Rodrigo Thiesen.

Aos 36, Júnior renovou o “gás” no ataque ao sacar Francis e colocar Wesley. Três minutos mais tarde, a revelação do Tricolor fez valer a aposta do técnico: em sua primeira jogada, arriscou chute de canhota da intermediária, a bola explodiu na marcação e encobriu o goleiro Daniel. Era o gol a sacramentar uma grande vitória do Botafogo.

Para efeitos de registro, outros dois bons lances aconteceram antes do apito afinal, um para cada lado. Aos 44, Thallyson cobrou falta da ponta direita e carimbou o travessão de Neneca. Aos 46, Bernardo, o qual havia entrado no lugar de Rafael Bastos, recebeu lançamento na área, dominou de direita, limpou para a perna canhota e disparou, obrigando Daniel a trabalhar.

FICHA TÉCNICA — RED BULL BRASIL 0 X 2 BOTAFOGO

Público: 360 pagantes (total: 515)/ Renda: R$ 2.260,00

Gols: Marcão, aos 10’/2ºT e Wesley, aos 39’/2ºT (Botafogo);
Cartões amarelos: Alison e Nando Carandina (Red Bull Brasil); Marcão (Botafogo).

RED BULL BRASIL— Daniel; Taylor, Anderson Marques, Luan Peres e Thallyson; Alison (Denner), Nando Carandina e Fillipe Soutto; Luan (Nixon), Rodrigo (Elton) e Bruno Alves. Técnico: Alberto Valentim.

BOTAFOGO— Neneca; Samuel Santos, Gualberto, Filipe e Fernandinho; Marcão Silva, Diego Pituca e Rafael Bastos (Bernardo); Kaue (Rodrigo Thiesen), Marcão e Francis (Wesley). Técnico: Moacir Júnior.