Um textão e uma lista com os melhores discos de 2015

Hop Along, Bárbara Eugênia, Julia Holter e Ava Rocha
Você precisa ter uma postura ativa na internet.

BRUNO ONDEI

que o ambiente aqui serve para isso, vamos de textão antes de qualquer coisa. Então, se você clicou só pra bater o olho em mais uma lista, o scroll down é serventia da casa.

Eu queria falar um pouco sobre um pacto que deveria ser feito por cada um de nós. Um pacto que pode salvar a música e aquecer o seu coração. Talvez isso possa soar um pouco ingênuo, especialmente para as pessoas que já assinaram esse pacto e que são a maioria aqui no Obras. Mas eu falo com a parcela que ainda não entendeu a importância de seu papel ativo dentro dessa nova realidade da indústria musical.

Lucas Paiva

Sendo bem direto: você precisa ir atrás de novos artistas.

A rádio não vai mais fazer isso por você. A televisão muito menos. Acabou faz tempo a época que você podia apenas esperar a MTV te mostrar as coisas legais que estavam sendo feitas por aí. Isso não vai mais acontecer.

Os meios de comunicação de massa, cada vez mais desesperados por audiência graças à inevitável perda de protagonismo e importância que eles vem enfrentando, arriscam cada vez menos. Não faz mais sentido esperar alguma coisa sair daí.

Você está perdendo um monte de coisa boa porque não entendeu isso ainda. E essas coisas precisam que você as descubram para poderem existir.

Waxahatchee

Não estou aqui fazendo juízo de valor ou sendo pedante, achando que você precisa ouvir o que eu gosto. Mas você precisa descobrir novos artistas, mesmo que dentro do escopo de coisas que você gosta. Ninguém vai fazer isso por você, especialmente se você restringir sua vida digital ao Facebook.

Eis o pacto:

Você precisa ter uma postura ativa na internet. Você precisa procurar referências dentro do universo que te interessa. Descubra blogs, siga contas legais do Twitter e do Facebook, vasculhe o Spotify, saia da superfície. Isso é muito importante.

É importante para você não ficar por aí repetindo que não existe música boa sendo feita hoje em dia. A lista abaixo, com artistas gringos e nacionais, mostra que 2015 foi um ano excepcional para a música.

O discurso da democratização do acesso a meios de gravação e à distribuição é muito repetido e festejado. Obviamente, de forma bastante justa. Porém, a sua atenção é parte imprescindível desse modelo. Ainda mais do que era antes. E sem isso, esse modelo não funciona.

Rodrigo Ogi

Quando a indústria da música ainda era um negócio multimilionário, nossa parte na equação era bem clara. A gente ia na loja e gastava 20 conto num disco.

Hoje a coisa é mais complexa. Um preço barato a se pagar por uma configuração de mercado muito mais interessante para o consumidor. Mas esse consumidor precisa assumir sua responsabilidade.

E essa responsabilidade é tão simples quando conhecer os artistas menos populares que fazem o tipo de música que normalmente te interessa. Ir a shows. Ouvir esses caras na internet. Dar sua atenção. Abrir sua cabeça.

Jamie XX

E falando em abrir a cabeça, aí vai então a lista. Eu fiz um post em julho falando de alguns discos muito bons que tinham sido lançados até então. Agora vou repetir alguns deles e incluir outros para montar uma lista de melhores do ano.

Como disse em julho, essa lista não tem a pretensão de ser definitiva. São só os discos de 2015 que eu mais gostei de ouvir. De qualquer forma, serve de guia para você mergulhar no Spotify e ser feliz.

Aliás, fiz uma playlist no Spotify com alguns destaques do ano.

Vamos aos discos. 25 nacionais e 25 internacionais, em ordem de preferência.

Cidadão Instigado

Nacionais

1 Cidadão Instigado — Fortaleza

2 Lucas Paiva — Longe

3 Bárbara Eugênia — Frou Frou

4 Pélico — Euforia

5 Mahmed — Sobre a Vida em Comunidade

6 Maglore — III

7 Ava Rocha — Ava Patrya Yndia Yracema

8 Boogarins — Manual

9 Rodrigo Ogi — Rá!

10 Elza Soares — A Mulher do Fim do Mundo

11 Manoel Cordeiro — Manoel Cordeiro & Sonora Amazônia

12 Dônica — Continuidade dos Parques

13 Siba — De Baile Solto

14 Bixiga 70 — Bixiga 70

15 Gal Costa — Estratosférica

16 Banda Gentileza — Nem Vamos Tocar Nesse Assunto

17 Scalene — Éter

18 BNegão & Os Seletores de Frequência — Transmutação

19 Instituto — Violar

20 Letuce — Estilhaça

21 Black Alien — No Princípio Era o Verbo

22 Wado -1977

23 Roberta Sá — Delírio

24 Dingo Bells — Maravilhas da Vida Moderna

25 Hélio Flanders — Uma Temporada Fora de Mim

Courtney Barnett

Internacionais

1 Courtney Barnett — Sometimes I Sit and Think, and Sometimes I Just Sit

2 Tame Impala — Currents

3 Jamie XX — In Colour

4 The Decemberists — What A Terrible World, What A Beautiful World

5 Kurt Vile — b’lieve i’m goin down

6 Krendrick Lamar — To Pimp a Butterfly

7 Sufjan Stevens — Carrie & Lowell

8 Blur — The Magic Whip

9 Alabama Shakes — Sound & Color

10 Hop Along — Painted Shut

11 All Them Witches — Dying Surfer Meets His Maker

12 Father John Misty — I Love You, Honeybear

13 Deerhunter — Fading Frontier

14 Faith No More — Sol Invictus

15 Julia Holter — Have You In My Wilderness

16 Albert Hammond Jr. — Momentary Masters

17 Sleater-Kinney — No Cities To Love

18 Wilco — Star Wars

19 Waxahatchee — Ivy Tripp

20 Destroyer — Poison Season

21 Laura Marling — Short Movie

22 Ash — Kablammo!

23 Thunderbitch — Thunderbitch

24 The Dead Weather — Dodge and Burn

25 New Order  Music Complete

Você leu esse post e curtiu? Então dê aquela ajuda pra mais gente chegar nele. Clique no “Recommend” logo abaixo para fazer ele ganhar força aqui no Medium e ser lido mais vezes. Valeu! ☺