Sexo de todos os tipos para todos os gostos

Octo também erra. “Quem nunca errou, nunca experimentou algo novo” — Albert Einstein

Já dizia Rita Lee, “sexo é escolha”. Tem gente que gosta, tem outros que não. Tem sexo com carinho, mais conhecido como fazer amor. Tem sexo pegado, que chamamos de transa, trepada e por aí vai. Sexo entre homens, entre mulheres, entre homens e mulheres, entre transexuais, entre todos juntos. Sexo é vontade, é tesão, é amor e, quem sabe, até amizade. Quem duvida?

Tratamos do assunto em Octo, na nossa Roda de Chimas desta segunda-feira, dia 04 de julho. O que despertou o nosso interesse foi a pesquisa Mosaico 2.0, que traçou o perfil da sexualidade do brasileiro. Nela foi constatada que os homens têm medo de brochar e que um terço tem dificuldades na ereção. E já as mulheres, mais de 40% sentem dor no ato e a grande maioria tem medo de contrair alguma DST. E não é a toa, pois a camisinha está longe de ser bem aceita pelas pessoas: só 28% usam regularmente. Nossos convidados tiveram diversas abordagens e abaixo temos alguns trechos e o vídeo completo:

“Na pesquisa mostra que as mulheres não querem muito sexo. Considero que o problema é que o ofertado para elas é muito ruim” — Punya, Terapeuta de Bioenergética no Namastê.
“O orgasmo tem dois tipos: um é uma descarga, a ejaculação. O outro é bem diferente. Tu sente no corpo, é uma entrega. Tu quer continuar transado durante muito tempo” — Punya, Terapeuta de Bioenergética no Namastê.
“A gente nem consegue cogitar que a mulher tem uma capacidade de sentir prazer que vai muito além do que a gente conhece, do que os homens conhecem” — Yamini Benites, Jornalista.
“Até os 3 meses o feto é totalmente discriminado, sem sexo. Só depois deste período que o feto desenvolve o sexo” — Zhélia Quevedo, Psicóloga Especializada em Sexologia.
“A mulher nunca foi ensinada a se masturbar. Eu tenho pacientes de 50 anos, que me dizem que nunca se masturbaram. A masturbação é o inicio do conhecimento do próprio corpo” — Zhélia Quevedo, Psicóloga Especializada em Sexologia.
“A gente pensa que sempre queremos mais sexo. Mas o que não nos perguntamos é como que a gente quer vivenciar a nossa sexualidade” — Hellen dos Santos, Doutoranda Nupsex UFRGS.
Mas erramos! Sim, erramos e assumimos o nosso deslize. Falamos de quase tudo, mas esquecemos que existe sexo além do já tradicional homem e mulher. E as outras relações meu Polvo Octo?
Pois bem, fomos alertados, via Twitter, pela nossa telespectadora @cidadesousa. Ela, atenta aos nossos assuntos, veio nos questionar e, realmente, precisamos nos desculpar. Ela disse:

E não é por menos. De acordo com um relatório de 2015 do Grupo Gay da Bahia, que é uma associação de defesa dos direitos humanos dos homossexuais no Brasil, foram assassinados 318 pessoas LGBTIs. Este número mostra que foi uma morte a cada 27 horas.

Um artigo do New York Times, publicado nesta semana, vai ao encontro deste relatório ao afirmar que o Brasil é o país mais perigoso para a comunidade LGBTI: mais de 1,6 mil pessoas foram assassinadas nos últimos quatro anos e meio por homofobia.

A reportagem relaciona a intolerância no Brasil com a cultura machista ainda presente na sociedade e pelo crescente número de bancadas evangélicas que se opõem abertamente ao público LGBTI. O cientista político Javier Corrales, que foi entrevistado pela publicação, afirma que o problema é que o cidadão brasileiro ainda mantém uma postura conservadora e está “desenvolvendo novas estratégias e um discurso mais virulento para barrar o progresso nessas questões”, afirmou.

Como forma de nos redimir e não contribuir com os dados acima, segue uma lista de 10 conteúdos sobre diversidade sexual que já exibimos em Octo, para que possamos nos deliciar nos diversos prazeres que essa nossa vida mundana nos proporciona.

Yuri Niederauer foi até a Cucko conferir o show da Pablo Vittar e falar sobre preconceito.
Nanni Rios recebeu Thiago Bragança e Leon Rojas que falam sobre a cultura Drag King.
O professor Jonathan Chasko, que se monta de drag para explicar gênero e sexualidade aos alunos de cursinho, fala com Octo via Skype.
Em uma reportagem investigativa a equipe da Virada Sport vai as ruas para conferir: o que acontece quando alguém escreve a palavra ‘Coligay’ em uma camisa do Grêmio? E ainda, o jornalista Léo Gerchmann conta a história da primeira torcida homossexual do Estado.
Mães de drag queens falam sobre como é a relação com as filhas.
À Trois: Intimidade entre casais e todas as formas de amor.
Criaturas do Polo Sul: Nanni Rios fala sobre diversidade, liberdade e respeito.
Criaturas do Polo Sul: Maria Berenice Dias fala sobre a união de pessoas do mesmo sexo e preconceito.
Criaturas do Polo Sul: Madblush fala sobre androginia e formas de expressão.
Criaturas do Polo Sul: Cassandra Calabouço fala sobre se montar.

E aí, curtiram? Então mandem mais sugestões de assuntos que possamos tratar!!! Estamos ansiosos com a sua participação!! Fiquem atentos que vem muito mais por aí!!!

Octo é Outra Coisa!!

Like what you read? Give Diego Amaral a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.