Nota de esclarecimento sobre o cancelamento da reunião com a reitoria

Informe à comunidade acadêmica sobre a reunião de negociação que estava marcada com a reitoria, mediante reivindicação dos estudantes, para a manhã desta segunda-feira, dia 12. Para esta reunião estava prevista a continuidade do diálogo em que a reitoria estava comprometida em posicionar-se juntos aos estudantes sobre o processo de ocupações e os seguintes eixos de pautas:

  1. CALENDÁRIO ACADÊMICO 2016/2 E NÃO CRIMINALIZAÇÃO/ NÃO RESPONSABILIZAÇÃO CIVIL, ADMINISTRATIVA E ACADÊMICA DO MOVIMENTO DE OCUPAÇÕES: que corresponde às ações que criminalizam os e as ocupantes e seus colegas, tanto em termos de fechamento do semestre, quanto a possíveis judicializações.
  2. AMPLIAÇÃO IMEDIATA DA DEMOCRACIA UNIVERSITÁRIA GARANTINDO MAIOR PARTICIPAÇÃO: que envolve a paridade dos espaços deliberativos e consultivos desta Universidade para que se possa garantir os subsídios e a base necessária para o resguardo da educação pública e de qualidade.
  3. MAIOR EFETIVIDADE NA GARANTIA DA PERMANÊNCIA E ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL: a garantia de que os cortes já em processo não atinjam as políticas de permanência universitária.
  4. ACESSO, ENSINO E EXTENSÃO: a garantia de políticas de ações afirmativas uniformes em todas as pós-graduações desta Universidade, bem como a gratuidade dos cursos de extensão e especialização que atualmente são pagos.
  5. SEGURANÇA E PERMANÊNCIA DAS MULHERES: propostas de políticas de segurança e permanência específicas para mulheres que compõe a universidade, como ampliação de vagas na creche para todos os setores; e políticas de seguranças dos campi e moradias.
  6. REUNIÃO ENTRE TERCEIRZADAS/OS, EMPRESAS E ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS DA REITORIA: em que as e os trabalhadoras/es terceirizadas/os, em seus espaços organizativos, demandam reunião junto da PROGESP/GERTE, representante das empresas, reitoria e SUINFRA para debater suas demandas; bem como de denunciar os crimes trabalhistas que ocorrem frequentemente com essas e esses trabalhadoras/es.

Salientamos que algumas das pautas foram consoantes a outros setores que se mobilizaram nesse processo. Vale lembrar que no mesmo dia estavam previstas outras duas reuniões com os técnicos e professores, que compõem a greve unificada da Universidade. Para saber mais, ler nota da ASSUFRGS e ANDES.

Devido ao cunho democrático e horizontal das ocupações, foram eleitos em assembleia representantes discentes que iriam compor a mediação com a reitoria que sempre se mostrou verticalizada e hierarquizada. Por julgarmos não ferir o caráter da reunião, além dos representantes, foram eleitos observadores de outros setores para acompanhá-la e facilitar os repasses entre as categorias.

Entretanto, a reitoria e seus representantes se mostraram intransigentes ao vetar veementemente a participação desses observadores, com o argumento de que feriria os acordos previstos, quando na realidade essa unidade entre os setores já vem sendo construída desde o inicio das ocupações.

Em resposta a atitude e a nota da reitoria, as e os estudantes e os demais setores se sentiram desrespeitados e silenciados diante da arbitrariedade da reitoria, e por isso expomos nossas posições, bem como carta de propostas aqui e em vídeo de como se deram os acontecimentos.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Ocupantes’s story.