Repensando as Férias: Precisamos chegar no limite para descansar?

Acreditamos que devemos sempre questionar se nossas práticas e processos realmente fazem sentido. Mesmo os mais fundamentais, enraizados e óbvios. Aliás, especialmente esses. Essa série vai documentar todos os nossos experimentos para evoluir e nos aproximar cada vez mais do que acreditamos que seja uma relação com o trabalho que faz sentido.

O experimento de hoje são os Mini Sabáticos.

O que estamos repensando

Férias.

O que é

Uma semana “off” programada para o time inteiro a cada 3 meses.

Porque decidimos repensar

Não acreditamos no modelo de férias tradicional; onde a pessoa tem que trabalhar 12 meses consecutivos e só depois poder tirar 1 mês “off”. Um modelo onde as pessoas esperam chegar a exaustão para então tirar um descanso.

No automático, acabamos utilizando esse modelo tradicional aqui no Startaê. As experiências que tivemos não foram muito boas. Notamos que as pessoas adiavam suas férias indefinidamente. Por não se programarem ou por não quererem deixar seus projetos na mão, entre outras razões.

Essa situação não é saudável mentalmente, fisicamente ou emocionalmente. Então começamos a procurar outras maneiras de fazer as coisas. Foi aí que resolvemos questionar esse modelo e criar um novo.

Nos inspiramos no Seanwes e sua prática dos Small Scale Sabbaticals. Acreditamos que implementar esse novo modelo vai:

  • Evitar o esgotamento total das energias. Porque não vamos precisar esperar a pessoa ficar exausta para tirar um descanso e recarregar as energias.
  • Eliminar "culpa" de tirar um tempo “off” enquanto outras pessoas do time estão trabalhando. Porque ninguém deve se sentir culpado por tirar um tempo de descanso.
  • Criar tempo para sair da rotina e conseguir ver as coisas do dia-a-dia com um pouco mais de perspectiva.
  • Criar o tempo para fazer um curso ou perseguir outras paixões que talvez fiquem esquecidas na rotina. Se não fez por falta de tempo, agora não tem mais desculpas.

Como vai funcionar

No nosso dia a dia, utilizamos a técnica do pomodoro para ajudar com a produtividade. Uma técnica aonde você trabalha por 25 minutos focado e depois descansa 5 minutos. Tem funcionado muito bem tanto para trabalhos individuais quanto para as nossas reuniões em grupo. Então resolvemos levar esse tipo de pensamento para uma escala maior.

Em média, a cada 3 meses tiramos 1 semana off. A empresa inteira para, todos do time recebem uma semana sabática ao mesmo tempo para uma pausa. A ideia é manter breaks em intervalos regulares e programados. Por essa conta são 4 sabáticos divididos pelo ano.

Esses breaks também estão alinhados com o nosso fechamento do trimestre. Fechamento do ciclo. É uma maneira de se recarregar e se preparar para o próximo.

Nessa semana você pode descansar e recarregar ou pode tirar um tempo para experimentar paixões secundárias. Compor uma música, criar arte, fazer um curso, ler um livro. Além disso, cada membro tem 1 semana de férias, além dos sabáticos, para tirar ao longo do ano como quiser.

Estágio do experimento

Vamos fazer nosso primeiro Mini Sabático começando essa segunda-feira, dia (10/04). Vai ser algo novo e com certeza teremos muitos aprendizados para aplicar no próximo, mas o mais importante no final é a tentativa de mudar algo que não faz mais sentido para o nosso time.

UPDATE: Resultado do Experimento

Acabamos de voltar do nosso segundo Mini Sabático. A primeira vez deu tão certo que não houve discussão se deveríamos continuar com essa prática ou não. Após a primeira semana de sabático, recebemos depoimentos como: “Nossa, eu não sabia o quanto estava precisando desse tempo de descanso.”

Essa energia renovada se refletiu no nosso planejamento estratégico para o trimestre. Conseguimos pensar com muito mais clareza quais deveriam ser os próximos passos para cada um dos nossos produtos.

Outro efeito desse experimento foi que o time acabou ficando mais focado ao longo do trimestre exatamente por saber que haveria uma boa pausa após esses 3 meses. E nas semanas anteriores ao sabático, a produtividade aumentou muito, pois todos queriam fechar todas as entregas antes de sair para o sabático. Sem medo de dar aquele gás final pois a semana seguinte seria uma semana de descanso. Foi um fechamento de ciclo muito proveitoso.

E os nossos clientes? É importante falar aqui que alinhamos as expectativas com eles com bastante antecedência. Fomos transparentes, dissemos que tiraríamos essa semana off e combinamos tudo que teria de estar pronto até lá. Eles entenderam e acabaram curtindo a ideia porque o time se comprometeu e se manteve ainda mais focado para realizar as entregas que haviam sido combinadas.

Uma ressalva que tivemos nessa mudança de modelo foi que essas semanas poderiam nem sempre bater junto com as férias dos parceiros dos membros do time. Outra questão foi se teríamos algum tempo além dos sabáticos que as pessoas poderiam tirar quando quisessem.

O que tentamos fazer para amenizar isso foi já deixar todos sabáticos do ano já registrados no calendário. Mesmo assim, decidimos que todos ainda tem 1 semana de férias que pode ser tirada a qualquer momento. Inclusive emendar com o sabático.

Existem sim desafios na hora de mudar o modelo, mas, voltando agora do segundo sabático, sentimos que o modelo já ficou mais redondo e refinado. E acreditamos que a tendência é só melhorar com o tempo, pois conforme mais discussões forem aparecendo vamos nos adaptando. Nada precisa ser definitivo. A conclusão é que essa nova prática trouxe uma série de benefícios muito maior do que os desafios que achamos que iríamos encontrar. Valeu a experimentação.


Fez sentido para você? Você acha que funcionaria na sua empresa? Se não, por que? Queremos saber dos seus experimentos ;)

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Victoria Haidamus’s story.