Amor Fati

(Glossário — https://goo.gl/fYnqC5)

Aceitação do destino, sim. Mas não como geralmente o conhecemos. Não a aceitação passiva da vida ou o destino como algo já definido. Mas sim uma acolhida dos acontecimentos de forma ativa. Acolher acontecimentos no sentido de que, mesmo as piores coisas, possam disparar outras viabilidades pro corpo não padecer. A grande saúde, para Nietzsche, engloba também ascensões e depressões. O destino para ele não é algo a que se deve ficar submetido. Acolher o destino é ser ativo na construção dele. Destino como processo, não bem como ponto final. É transformar o que se vive na possibilidade, sempre, de fazer da vida uma potência e de fazer o corpo se movimentar.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.