Rio 2016: conheça os brasileiros com chance de medalha na Paralimpíada

Rio 2016/Miriam Jeske

Se o Brasil teve a sua melhor participação nos jogos olímpicos em todos os tempos, espera-se ainda muito mais na paralimpíadas, isto porque o Brasil tem uma representatividade no quadro de medalhas maior nas paralimpíadas do que tivemos até então nas olimpíadas, e apesar disto boa parte destes atletas não são tão conhecidos do público brasileiro que tem neste ano, com os jogos sendo realizado no Brasil, a oportunidade de dar o espaço que estes atletas fazem por merecer.

Na ultima edição dos jogos paralímpicos, o Brasil ficou em sétimo lugar na classificação geral, com 21 medalhas de ouro, contra apenas três medalhas de ouro nas olimpíadas. Por conta disto há uma grande expectativa que nos jogos paralímpicos possamos ter um aumento tanto no total de medalhas de ouro como nas demais posições de maneira geral, haja vista que diferentemente do que normalmente acontece, a superação de cada atleta não é apenas em relação aos seus adversários, mas também a sua própria condição, com a qual precisa batalhar por toda uma adaptação que possibilite a pratica esportiva adequada.

Em meio a tudo isto, alguns brasileiros são colocados como favoritos a uma ou mais medalhas em sua modalidade. Vamos conhecer alguns deles:

NATAÇÃO

  • Clodoaldo Silva — Conhecido como o “Tubarão Paralímpico”, Clodoaldo colecionou recordes e medalhas na natação. No ano de 2004 em Atenas, Clodoaldo levou nada menos do que sete medalhas nas oito provas que participou, sendo seis delas de ouro e uma de prata. No entanto com 37 anos o atleta pensou em parar de competir após as paralimpíadas de Londres onde não conseguiu subir ao podio. No entanto com o evento sendo realizado no Brasil, Clodoaldo decidiu que não poderia existir lugar melhor para encerrar sua bem sucedida carreira esportiva, e preparou-se como nunca para conseguir se despedir subindo ao pódio pela última vez em uma paralimpíada.
  • André Brasil — Outro brasileiro que deve subir ao pódio pela natação é o carioca André Dias, o que não será nenhuma novidade para ele que já tem 10 medalhas, sendo 5 conquistas em Pequim e outras 5 em Londres, sete delas de ouro. No mundial do ano passado foi ouro em três modalidades e prata em outras duas, mostrando que vem em excelentes condições de preparo para estes jogos.
  • Daniel Dias — O terceiro nome brasileiro da natação é sem dúvida alguma uma certeza nas apostas para pódio nestes jogos. Daniel conquistou quinze medalhas em apenas duas edições dos jogos, sendo dez delas de ouro, tendo recebido em 2009 o prêmio Laureuis, titulo dado ao melhor atleta paralímpico do ano de 2008. No parapan de Toronto do ano passado Daniel caiu na água sete vezes e levou sete medalhas de ouro. É o atleta a ser batido por competidores do mundo inteiro e nossa certeza de algumas medalhas.

ATLETISMO

  • Alan Fonteles — No atletismo, Alan ganhou notoriedade em 2012, ao vencer o então favorito Oscar Pistorius, que era até aquele dia o único atleta a competir em par de igualdade com corredores que não eram paratletas. A partir deste momento ele passou a ser o principal velocista paralímpico. Foi ouro na paralimpíada de Londres e vem com grandes possibilidades de medalhas nas provas de 100 e 200 metros.
  • Terezinha Guilhermina — Esta mineira de 37 anos é considerada a atleta cega mais rápida do mundo e chega com grandes possibilidades de levar medalhas de ouro nas provas de 100 e 200 metros, provas que ela já levou medalhas nas paralimíadas de Londres-2012, de Pequim-2008 e em Atenas-2004, sendo que ela vem em uma evolução constante que culminou com o ouro nos últimos jogos e a coloca como favorita nas provas de 100, 200 e 400 metros.
  • Felipe de Souza Gomes — Dono de duas medalhas em Londres, uma de ouro e outra de bronze, Felipe Gomes vem brilhando nos diversos torneios que participou. Somente em 2015 o corredor brasileiro chegou ao posto mais alto no Mundia de Doha (100m), no Parapan-Americano (Nos 400m e revezamento 4x100m) e no Open de São Paulo, onde conseguiu o primeiro lugar nos 100m, 200, e 400m

BOCHA

  • Maciel Santos — Desde muito jovem Maciel já defendia o Brasil nas competições internacionais e é o hoje o principal jogador deste esporte que já viu este cearense ganhar uma medalha de ouro nas paralimpíadas de Londres, e que espera repetir agora no Brasil. O Brasil também esta muito bem cotado para uma medalhas nas partidas de duplas da categoria BC4 (atletas com deficiências severas mas que não recebem assistência nas provas) onde é atualmente o número 1 do ranking.

CICLISMO

  • Lauro Chaman — É o maior nome do ciclismo brasileiro e maior esperança de medalhas neste esporte, ele que é o atual campeão dos Jogos Panamericanos de Toronto realizados no ano passado, onde conseguiu duas medalhas de Ouro e uma de Prata, em três Provas distintas do paraciclismo. Se conseguir subir ao pódiu, Lauro quebrará uma escrita negativa, pois este é um esporte onde o Brasil jamais conseguiu uma medalha na paralimpíada

Os esportes coletivos também podem trazer algumas medalhas para o Brasil. O futebol de 5 é um forte candidato haja vista a tradição brasileira neste esporte onde já chegamos ao posto mais alta nas paralimpíadas de Atenas (2004), Pequim (2008) e de Londres (2012), sem contar que o Brasil jamais perdeu um único campeonato desde 2006. É medalha garantida, só resta saber de qual cor.

O goalball, uma espécie de futebol gol a gol, é outro esporte coletivo com possibilidade de medalhas para o time masculino e feminino. Bastante diferente do futebol tradicional é um esporte muito interessante e que dá vontade de colocar uma venda nos olhos para poder participar também, tal é a receptividade por parte do público.


Originally published at torcedores.com on August 30, 2016.