olist
Published in

olist

O que aprendi em 4 meses como Desenvolvedora Júnior

Como passa rápido 😱 !! Parece que foi ontem que eu escrevi meu primeiro texto contando sobre minhas primeiras semanas como dev!

Se você é novo por aqui: Bem vindo/a!! Puxa a cadeira, pega um cafezin ☕ e sinta-se em casa. Ahh, e se quiser saber mais sobre mim, dá uma olhadinha nos textos já publicados aqui.

Vou fazer um resumão porque nesses 4 meses já rolaram MUITOS aprendizados. Separei alguns que acho válidos, não só para a área de tecnologia, mas para a vida como um todo.

Então, sem muitos rodeios, vou começar pelo mais importante. Aqui já deixo um aviso: se você ignorar todo o resto do texto e se concentrar só nesse trecho abaixo, já vai te ajudar em muitas situações!

Foque na constância. Tenha paciência.

Se tem uma dica de ouro é essa: menos explosão e mais constância.

Sabe aquela veeeelha fábula que a gente ouvia quando criança e que envolvia uma tartaruga e uma lebre? Se você não sabe, ̶n̶ã̶o̶ ̶t̶e̶v̶e̶ ̶i̶n̶f̶â̶n̶c̶i̶a̶ dá uma lida nessas poucas linhas aqui. 👀

Pois bem, não serve só para crianças. Aliás, diria que ela serve mais para adultos. E por que estou dizendo isso? Bom…

Não cabe nas minhas duas mãos quantas vezes eu comecei algo muito empolgada, gastei toda a minha energia num curto espaço de tempo e em seguida fiquei ‘bodeada’ ou sem vontade de continuar.

Teve uma época que eu queria emagrecer e ter o corpo boladão. Ia pra academia e ficava tipo umas 2h ou 3h, fazia vários treinos, e no dia seguinte…Aiai, sempre tem o dia seguinte. Tudo doía e não tinha condições de ir para a academia; nisso já estragava toda a rotina e depois ficava ainda mais difícil de voltar.

Esse é só um exemplo das inúmeras vezes que tentava dar tudo de mim para, no instante seguinte, querer ter algum resultado visível (e me frustrar).

Desapegar de ter um resultado a curto prazo vai te dar mais calma e maturidade para aprender algo e criar o hábito de continuar fazendo e persistindo. Até porque muitas vezes a satisfação desse resultado pode durar alguns segundos! 🤯
(Claro que aqui falo de situações com objetivos a longo/médio prazo).

Talvez você esteja se perguntando “como funciona esse desapego durante o aprendizado de desenvolvimento de software?”:

Se quiser já sair resolvendo bugs e fazendo vários projetos legais nas primeiras semanas, talvez saia um pouco (ou muito) frustrado. Quando comecei, ficava extremamente tensa e ansiosa se não conseguisse resolver algum problema em minutos. Jogava o erro no Google e se não encontrasse a resposta pronta, ficava doida e corria para pedir ajuda aos meus professores e amigos.

Depois de 10 meses (6 de curso e 4 trabalhando na área), me sinto quase como um monge comparando com a Tainah do passado. Ainda há muito o que melhorar, mas entendo agora que se existe algum problema, eu preciso ter calma e ir lendo os fóruns e documentações sem expectativa de encontrar respostas prontas. Isso ajuda muito a ir construindo conexões entre as informações até que em algum momento se torna possível resolver algo ou pelo menos ter ideia do que está acontecendo.

Observando um dev senior e um júnior, diria que uma das diferenças mais gritantes é a calma de espírito frente a um problema.

Paciência e constância. Tá bom ou quer mais??

Se quiser mais….aqui vai 😎:

Tente fazer perguntas escritas ao invés de já pedir uma chamada de vídeo para resolver um problema:

Sabe por que isso vai ser bom, apesar do desconforto de ter que esperar a resposta e ter que se fazer entender?? Porque vai te forçar a organizar as ideias para conseguir pedir ajuda!

“Mas como assim, Tainah??”

Bom, imagina que você vai ao médico com dor. Por mais que ele tenha anos de estudo, se não conseguir descrever exatamente o que está sentindo, onde está doendo, há quanto tempo, possíveis causas, vai ser muiiiito mais difícil diagnosticar o que há no seu corpo.

Para isso, você terá que organizar cronologicamente seus pensamentos e tentar lembrar e descrever como começaram os sintomas, o que comeu, o que fez, para que o médico consiga te ajudar. Essa organização vai facilitar a estruturar seu pensamento e transformar sintomas (ou até mesmo sentimentos) em palavras e se fazer entender.

Com códigos é a mesma coisa! Se você tiver que descrever o problema, quando ele começou, o que fez para chegar nele, possíveis causas, pode ser que nessa estruturação de ideias, você mesmo chegue a uma resposta.

Comunicação é aprendizado:

Ninguém sabe se comunicar perfeitamente. Acreditar que isso é possível é utopia. Nunca chegamos numa comunicação perfeita, sem ruídos. Comunicação requer observação de si mesmo e do meio e estar constantemente aprendendo.

Quantas vezes você quis dizer algo com uma intenção que foi entendida completamente diferente? Ou até mesmo quantas vezes você achou que algo era óbvio demais para ter que comunicar a alguém e resultou em um mal entendido?

Imagina isso num ambiente empresarial com vários colaboradores fazendo diferentes trabalhos ao mesmo tempo. É impossível saber de tudo o que está acontecendo mas é necessário extrair o quê do seu trabalho poderá impactar alguém e comunicar isso. Nem falar de mais, nem de menos.

Ter uma visão do todo e entender a importância da pequena peça que você representa, é fundamental para que todos caminhem juntos da melhor forma.

Aqui não existe fórmula mágica, não é ciência exata. Comunicação é fundamental mesmo para os tímidos! Sinto dizer, mas a timidez merece ser vencida e isso trará bons frutos para você e todos ao seu redor. Pense na organização de formigas e abelhas: elas estão constantemente enviando e recebendo sinais entre si e isso faz com que consigam trabalhar juntas.

Haverá “dias de luta e dias de glória”

Não somos robôs. Nossos sentimentos, pensamentos, saúde…tudo isso impacta na concentração e foco. Procurar estar bem é fundamental para melhorar o desempenho e, entender que haverá dias difíceis em que sua produtividade vai estar uma porcaria, te ajudará a lidar com a frustração.

Lembro de um dia em que fiquei HORAS olhando para um trecho de código e não conseguia entender absolutamente nada. Ficava me forçando a conseguir fazer algo, mas sem sucesso. Quando resolvi “jogar a toalha” e me dar um tempo, voltei a noite só para dar uma olhada, sem pretensão, e consegui resolver em 20 minutos.

Não se cobre e não se coloque para baixo caso não tenha tido um bom dia. O importante é a constância, lembra? Não há nada que não possa ser resolvido, é só uma questão de tempo e paciência.

Ajude sempre que puder e, mesmo se não puder, ao menos tente.

Se alguém te pedir ajuda, por mais que você não saiba a resposta, dê um possível caminho. Talvez você se pergunte: “ahhh, agora vou ter que ajudar o mundo inteiro?? Eu não consigo nem resolver os meus problemas!”

Deixa eu te contar uma coisa: se puder aprender com a dúvida de alguém, amanhã você terá um problema a menos, porque essa mesma dúvida poderia aparecer para você mais cedo ou mais tarde.

Outra coisa: se por acaso você já souber a resposta e puder ajudar, você acelerou o processo de alguém que agora poderá ter mais tempo para te ajudar ou ajudar outras pessoas.

Deu para entender o ciclo? Você só ganha ajudando!

E ainda assim, se não ganhasse nada com isso, sempre é bom praticar o altruísmo, mesmo em pequenas doses. Vai te fazer se sentir útil e bem.

Por fim, compartilhe conhecimento!

(saudações, ET Bilu!)

Se tem uma coisa linda demais que aprendi nos últimos meses, é que quando você compartilha algo que sabe, só faz com que as outras pessoas cresçam e consequentemente você cresce também!

“Nooossa, Tainah, você tá viajando na maionese ou virou santa??”

Nenhum dos dois. Quando comecei a compartilhar pequenas coisas que eu aprendia com quem estava perto de mim, logo em seguida a pessoa também comentava algo que ela aprendeu. Isso é fantástico!

Claro que nem sempre irá receber algo diretamente, mas pensa em quantos vídeos no youtube você já viu que ensinava a fazer alguma coisa?? Posso dizer: já aprendi desde dobrar roupas em segundos, fazer uma comida simples e gostosa a alongar as costas (e por aí vai).

Talvez para alguém que sempre faça aquelas coisas, nem pareça algo excepcional ou importante, mas que seja dito: tudo o que você sabe fazer, pode ser compartilhado e com certeza vai ajudar alguém que não sabe.

Esse é um dos motivos pelo qual eu tenho escrito aqui no Medium:

Compartilhar minhas experiências, com muita sinceridade, enquanto caminho pela área de desenvolvimento com o intuito de trazer desafios, superações e aprendizados.

Se você quiser saber alguma coisa sobre mim ou qualquer outra dúvida, pode me perguntar pelo linkedin Tainah Bernardo ou me manda um e-mail: tainahboarini@gmail.com =DD .

Um abraço e até mais !!

👉 Ahh aproveito para deixar um convite para fazer parte do time do Olist! Aqui nesse link, tem diversas áreas em aberto (muitas Home Office). Dá só uma olhadinha → olist.gupy.io.

--

--

Bastidores da cultura e processos de trabalho do #teamOlist.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store