Foto: Mídia NINJA

Movimento negro no Carnaval

Fotos de Mídia NINJA, com reportagem de Luana de Souza, durante a vivência do projeto Outros Carnavais 2016 • Brasil

O bloco Filhos de Tcha Tcha inovou em fazer a junção do carnaval com o congado no festejo de BH. Este ano, a concentração aconteceu no espaço da Guarda de Moçambique Nossa Senhora do Rosário que irá completar 100 anos em 2016 e é considerada patrimônio imaterial da região. Trata-se de um espaço envolto de intenso sincretismo religioso — o que proporcionou um ambiente de troca entre os que chegavam e a mística do local.

‘’Guarda é um grupo de pessoas que fazem parte da irmandade de Nossa Senhora Aparecida. É onde é denominado guarda’. Existem vários tipos de guarda, como a de Congo, Moçambique, de Candombe etc.”

Foto: Agatha Azevedo/Mídia NINJA

Quando chegamos na Guarda, o relógio marcava 12:36. Horário estratégico para a áurea alegórica do bloco: um delicioso tropeiro foi servido pelas mulheres da congada.

Bem alimentados e já com a casa cheia, a bateria começou a esquentar. E rapidamente, os ‘’filhos de tcha tcha’’ viraram um multidão que seguiram o cortejo pelas ruas do bairro adentro.

Começamos por uma estreita rua de terra, que segue o curso do córrego que circula no bairro Aparecida, região noroeste de Belo Horizonte. Depois de caminhar, a visão do Carnaval como forma de resistência ficou ainda mais clara. Os membros da Guarda denunciaram o fato do córrego ter se tornado um esgoto a céu aberto e que não podem deixar o local devido à sede do congado.

Foto: Agatha Azevedo/Mídia NINJA

Durante o trajeto pelas calçadas e ruas do bairro, os moradores saiam as janelas, portôes para ver o bonde passar, muitos deles com mangueiras a mão: ‘’ei chapolin, joga água em mim!’’ — um dos cantos mais celebrados neste carnaval quente, em Belo Horizonte.

Foto: Agatha Azevedo/Mídia NINJA

Mais uma vez, água, mangueira, baterias e cantos, num ambiente extremamente familiar, todos iam se aproximando, o bloco e a comunidade local, celebrando o carnaval de rua e cultura popular.

Foto: Agatha Azevedo/Mídia NINJA
Show your support

Clapping shows how much you appreciated Otros Carnavales’s story.