Cansei do Facebook

Tomava muito tempo do meu pouco tempo

[Revisado em 2017–05–31]

Não é pessoal, meus amigos presenciais que me encontram e pedem adição nessa rede social virtual. Mas, eu estou cansado dessa relação que não é relação e não vejo sentido algum em ficar vendo cada uma das postagens que todos fazem individualmente numa tentativa louca de me manter ciente do que vocês estão passando.

Eu sou verdadeiramente interessado em tudo o que desejarem me contar ou compartilhar comigo. Mas é impossível acompanhar tudo e a sensação de incapacidade só me deixava frustrado.

Pensei, diversas vezes, em desativar meu perfil. Mas tem muita gente que eu gosto e só mantenho contado fácil por mensagens no facebook (tenho saudades do tempo que as pessoas usavam email).

Resolvi manter o perfil, não só por causa desses contatos que passaram a se comunicar somente por mensagens nessa plataforma, mas também devido a uma relação que desejo manter com o fotoclube que sou associado e que a diretoria (quando eu estava presidente, ainda) resolveu manter a presença na Internet nessa plataforma — encerramos nosso fórum por falta de pessoas que o utilizassem (era uma estrutura cara de se manter).

Mas, essa manutenção do perfil veio com uma mudança da forma de usar a plataforma. Estou tentando ser mais consciente no uso, coisa que começou com a criação de novo perfil e remoção do antigo.

Primeiramente, removi o aplicativo do celular, já havia optado pelo Lite (versão leve) em vez do aplicativo padrão que me obrigava a ter dois, ele e o Messenger, para poder usar com quem mais me motiva a ficar (comunicação com algumas pessoas).

Agora resolvi retirar o Lite do celular, pois eu me via, em momentos de nada para fazer, rolando tela procurando “nada”. O Lite me permitia ver as conversas (caixa de mensagens), meu interesse e não ter motivo de ver mensagens me faz não desejar nem entrar pelo navegador do celular.

Eu ainda acesso, eventualmente, pelo celular quando não estou no meu computador pessoal quando é preciso ver algo nos grupos relacionados ao clube de fotografia e estou fora de casa. Esse acesso, atualmente (revisão de 2017–05–31) é feito usando o aplicativo Metal — um navegados especializado e dedicado para o uso do facebook que me permite acessar o messenger e ver as notificações.

Essa semana (ou foi na passada? data do texto original), resolvi adicionar uma extensão no navegador que retira o feed de notícias. E foi a melhor coisa que eu poderia fazer para me colocar em foco no uso da ferramenta e não me deixar perder tempo rolando tela.

Eu já havia parado de seguir a maioria dos contatos, mas essa opção de não ver atualização alguma de forma passiva, me faz aproveitar melhor meu tempo. Já noto um aumento de leitura e busca por informações úteis na Internet. Me sinto descobrindo coisa e tendo comunicação relevante (como eu tinha nos primórdios da grande rede).

O feed do facebook se tornou a TV (que abandonei faz tempo) onde eu passava horas improdutivas e ocupando a mente com impedimento de possibilidade de ter algo realmente relevante a pensar (ócio criativo não se faz na frente da TV nem no feed de notícias do facebook).

Estou a um passo de não utilizar mais o facebook no celular se eu não conseguir arrumar uma extensão (ou um navegador especializado) que não apresente o feed de notícias. O Metal (navegador especializado que uso — revisão de 2017–05–31) não tem opção de desativar o feed (ainda, espero que venha a ter).

Vejam como está minha tela do facebook depois dessa mudança:

Print de tela de como o facebook se apresenta para mim no meu navegador.

O que tem de efeito sobre minha relação com meus contatos (amigos e conhecidos)?

Eu, certamente não ficarei sabendo de novidade alguma que meus contatos no facebook postarem. Então, se for importante que eu saiba de algo, me enviem uma mensagem que eu lerei (provavelmente) a noite. Se me enviarem um bom e velho email, pode ser que leia imediatamente.

Apesar de poder acessar o facebook no computador do trabalho, desde que autorizaram a fazer isso, eu optei por não acessar. E eu mantenho meu email (gmail) aberto o tempo inteiro no navegador. Inclusive isso é benéfico para meu trabalho, pois fazer buscas conectado preserva o histórico e, eventualmente, continuo pesquisas de casa (gosto do meu trabalho, computação era meu hobby e trabalho, antes da fotografai voltar para minha vida).

Já me perguntaram:

  • Você não vê, não comenta ou não curtirá nada de seus contato se não ver, como espera que eles comentem algo seu?
    Não espero que comentem algo que eu posto. Estou mudando meu comportamento e passando a só postar coisas que possam ser relevantes para outras pessoas. Já havia passado a postar coisas só na minha páginas (a de fotografia e a outra) e continuo assim. Coisas pessoais, estão se tornando escassas.
    Se algum amigo tiver interesse em algo pessoal sobre mim, vai saber sobre isso conversando de maneira mais pessoal. Isso inclui se encontrar para tomar um café, mandar um email pedindo notícias, telefonar, entre outras coisas que não inclui ver postagens sobre mim no facebook e outras redes sociais virtuais.
  • Ninguém vai saber nada sobre você, como espera que se lembrem de você?
    Não espero que se lembrem. Mas quem me tem como importante na sua vida vai se lembrar da mesma forma que me lembro de quem é importante para mim. Passei grande parte da minha vida sem telefone e não perdia contatos nem compromissos com amigos. Como isso vai acontecer só por eu deixar o facebook?
    Mas, as pessoas que me procuram no facebook, vão continuar me vendo por lá. Sempre tenho uma foto nova que algum amigo da fotografia posta e me marca. Eu também saio para fotografar e posto uma ou outra foto. Os textos que eu publico aqui no Medium eu compartilho no meu perfil do facebook.
    Então eu não terei sumido.

Não sei se essa mudança é definitiva, mas estou curtindo o maior tempo livre. Ainda estou curtindo muito (revisão de 2017–05–31) apesar de ter aumentado meu uso (graças ao aplicativo Metal).

Eventualmente lembro de algum amigo que sei estar no facebook e dou uma bisbilhotada no que ele publicou e está visível para eu ler. Assim posso ficar sabendo de algum evento importante (nascimento de um filho, mudança de emprego, término de relacionamento, morte de algum parente querido, etc). Até imagino os motivos da criatura não ter me avisado, mas já sei a resposta, por ter publicado no facebook ele imagina que todos os amigos saibam. Bem, eu posso não saber.

Para os meus leitores que não me tem como contato mais pessoal, essa pode ser uma informação bem inútil.

Para meus leitores que mantenho contato pessoal, fica a dica:

Me contem o que quiserem que eu saiba e me perguntem o que quiserem saber.

Grande abraço.


[escrito originalmente em 2016–08–21]