Executivo da JBS cagueta Robinson e Fábio sobre propina pra Caern

Governador e deputado, pai e filho, são acusados de receber R$ 10 mi em troca da privatização da Companhia de Águas e Esgotos
Da esquerda: Fábio, o presidente Temer, Robinson e o ministro Henrique Meirelles durante encontro em Brasília (Reprodução/Facebook/Robinson Faria)

O governador Robinson Faria e o deputado federal Fábio Faria, pai e filho, respectivamente, foram citados na delação premiada de Ricardo Saud, um dos executivos da JBS. Os políticos do PSD são acusados de receber R$ 10 milhões em propina em troca da privatização da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern).

Em abril, o consórcio Aqua foi selecionado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para fazer os estudos técnicos de capital da estatal por R$ 6,3 milhões.

Nos acordos com a JBS, Robinson e Fábio teriam ainda ofertado uma secretaria do Estado para o grupo.

Os empresários da JBS também entregaram à Justiça outras provas dos acertos com os Faria. Uma anotação diz: “5 milhões Robinson Faria R. G. do Norte”.

Fátima

Outro nome que aparece na mesma anotação em que está o nome do governador é o da senadora potiguar Fátima Bezerra, do PT. “0,5 Fátima Bezerra Senadora”, diz o texto.