Tempo de viagem diminuiu na maioria das capitais

3ª edição do Índice de Tempo de Viagem 99 revela que oito das dez capitais analisadas apresentaram tendência de queda de congestionamento

A terceira e mais recente edição do Índice de Tempo de Viagem da 99 avaliou o índice de atraso relativo nas corridas da 99 durante os três primeiros trimestres de 2018 e revelou mudanças significativas em relação aos números obtidos no quarto trimestre de 2017.

Entre as dez capitais analisadas, oito apresentaram tendência de queda no índice nos últimos meses e o município de Recife não é mais o líder do ranking. As cidades com os maiores índices, agora, são Rio de Janeiro e São Paulo, as duas maiores cidades do país.

O que é ITV 99?

O Índice de Tempo de Viagem da 99 mensura a média de atraso dos deslocamentos nos períodos de pico, ou seja, o tempo médio perdido pelas pessoas com o tráfego ruim das cidades.

Baseados nos dados agregados de GPS de milhões das corridas da 99, pesquisadores do time de Políticas Públicas da empresa comparam a duração da corridas nos horários de pico com a duração das corridas 25% mais rápidas e identificam as cidades (assim como as regiões de cadas cidades) em que o atraso é mais longo.

Então, significa dizer que no Rio de Janeiro, líder do ranking com índice de 1.75, as corridas que começam no horário de pico demoram, em média, 75% a mais que a média das 25% corridas mais rápidas realizadas no mesmo trajeto.

Este levantamento tem serventia como objeto de consulta pessoal, mas, principalmente, como uma ferramenta de apoio aos gestores municipais na formulação de políticas públicas.

O indicador — como é segmentado também por regiões de cada cidade — é capaz de identificar áreas com problemas de congestionamento, de ajudar a avaliar o impacto de obras sobre o trânsito, de localizar eventuais deficiências na estrutura viária e, ainda, oferece um diagnóstico preditivo de pontos de concentração de veículos ao longo do dia.

Como chegamos a esses números?

É importante lembrar que as medidas de atraso são uma proxy do índice de congestionamento. Não podemos dizer que a cidade A é mais congestionada que a cidade B, porém, podemos concluir que — muito provavelmente devido ao congestionamento — as viagens na cidade A, durante o horário de pico, demoram, em média, mais em relação às viagens feitas em horários de free flow, quando comparadas aos mesmos tipos de viagens da cidade B.

Enfim, o ITV possibilita a comparação de uma área, seja ela uma cidade ou um bairro, com ela mesma em uma situação de tráfego livre ou com outras áreas.

O índice foi elaborado seguindo parâmetros de outras metodologias de Travel Time Index. O cálculo é o seguinte:

Fórmula do cálculo do ITV 99

O quão ruim é embarcar no horário de pico

Os mapas abaixo mostram a evolução do atraso de viagem em cada região das cidades analisadas.

A forma de leitura é a seguinte: uma viagem iniciada em determinado hexágono e destinada a qualquer outro lugar da cidade demora, em média, x% mais tempo no horário de pico do que demoraria em uma situação de tráfego livre. E quanto mais escura for a cor do hexágono, maior essa porcentagem de demora.

Belo Horizonte

Brasília

Curitiba

Fortaleza

Manaus

Porto Alegre

Recife

Rio de Janeiro

Salvador

São Paulo