Especial: 10 curiosidades sobre Ievguêni Zamiátin, autor de “Nós”

No mês passado, a Aleph publicou Nós, o romance mais famoso do russo Ievguêni Zamiátin. Considerado a distopia original, foi uma das principais influências de Huxley ao escrever Admirável Mundo Novo e de Orwell ao escrever 1984, inclusive a nova edição conta com uma resenha do britânico sobre o livro.

Para comemorar a publicação do livro, reunimos 10 fatos e curiosidades sobre a vida e a obra do autor russo, que, infelizmente, não ganha o destaque merecido não só por influenciar livros importantes, mas pelo próprio Nós ser um romance fundamental na biblioteca de qualquer leitor.

>> Livro disponível na Amazon <<

1. Zamiátin era filho de um professor, que também era um sacerdote ortodoxo russo, e de uma mãe musicista.

2. Antes de começar a escrever ficção por diversão, Ievguêni Zamiátin cursou engenharia naval na cidade de São Petersburgo, entre 1902 e 1908. Nesse mesmo período, o autor adere ao movimento bolchevique, o que o leva a ser exilado do país em 1905 e em 1911.

3. Após a Revolução Russa de 1917, Zamiátin contribui escrevendo e editando vários jornais e revistas socialistas, além de supervisionar e editar traduções russas para obras de autores como H. G. Wells (de quem era fã) e Jack London.

4. Zamiátin foi, inicialmente, um apoiador do regime bolchevique e da Revolução Vermelha; porém, tornou-se um crítico ferrenho do regime conforme a censura passou a ser praticada. Então, o autor notou que o regime comunista passava a ganhar contornos totalitários, o que o motiva a escrever e publicar Nós. Isso o torna um dos primeiros dissidentes soviéticos.

5. No decorrer dos anos 1920, o autor é fortemente perseguido na União Soviética, o que o leva a solicitar o exílio diretamente a Stalin. Depois da intercessão de Maxim Gorky, autor russo fundador do realismo socialista e tido em alta conta por Stalin, Zamiátin tem seu pedido atendido e se muda para Paris, em 1931, com a mulher.

6. No seu período em Paris, Zamiátin trabalha com o diretor francês Jean Renoir, atuando como corroteirista na adaptação de O Submundo (Les Bas-fonds), peça de Maxim Gorky, para os cinemas.

7. Infelizmente o autor morre na pobreza, em 1937, na cidade francesa de um ataque cardíaco. O seu túmulo pode ser encontrado no Cimetière de Thiais, no sul de Paris.

Imagem: Reprodução // Find a Grave

8. Embora a obra tenha sido finalizada em 1921, Nós só foi ser publicada em 1924, na cidade de Nova Iorque, com tradução de Gregory Zilboorg. A edição russa do romance apenas saiu quando a glasnost promoveu a democratização e a liberdade dos meios de informação na União Soviética, ou seja, em 1988, quase 70 anos depois que Zamiátin havia finalizado sua obra mais famosa.

9. Talvez por ironia do destino, Nós é, hoje, uma leitura comum a ser solicitadas pelos professores de literatura nas escolas russas.

10. O livro foi adaptado para a televisão alemã pelo diretor tcheco Vojtech Jasný, em 1982, com o título de Wir. A adaptação é bem fiel ao romance de Zamiátin e acaba por ser um bom filme, ainda mais considerando o escopo do projeto. Recentemente, Nós foi adaptado no formato de um curta bem interessante postado no Youtube, que você pode conferir abaixo.


Literatura, cultura pop e opinião de segunda à sexta. Não se esqueça de dar ❤ se você gostou do texto e de nos seguir no Twitter (aqui). ;)

Show your support

Clapping shows how much you appreciated João Victor de Araujo’s story.