Os avanços e as descobertas da ciência são inúmeros e fascinantes. Mas algumas perguntas permanecem sem resposta. Muitas delas, inclusive, poderiam explicar o Universo todo. Reunimos seis questões ainda sem solução e que provocam os cientistas a buscar o conhecimento necessário para desvendá-las.

1. POR QUE A GRAVIDADE EXISTE?

Graças a Albert Einstein, sabemos da existência da teoria da gravitação, segundo a qual planetas e estrelas estão em órbita pelo simples fato de estarem ali presentes. Ao seguirem a curvatura do espaço, os corpos celestes giram, gravitam em torno uns dos outros, como a Terra ao redor do Sol e a Lua em volta da Terra. Mas tudo isso só existe no papel. De onde vem essa gravidade e qual é sua importância são perguntas ainda sem resposta. Essas comprovações abririam uma porta especial para o conhecimento do Universo.

2 . O QUE TEM NO FUNDO DO OCEANO?

Somos cercados por água, mas a verdade é que não conhecemos quase nada do fundo do mar. Segundo a Organização Nacional Francesa de Hidrografia (OIH), após 200 metros de profundidade, só desbravamos 10%.

Para alguns cientistas, o universo sob as ondas é menos conhecido do que a superfície da Lua. Ainda há uma imensa vida aquática a ser revelada. Para ajudar nessa tarefa, tem-se recorrido cada vez mais aos veículos subaquáticos controlados remotamente, como os ROVs, ferramenta importante tanto na exploração do oceano quanto na extração de petróleo e gás. Outra opção tem sido o uso de satélites que orbitam o espaço. Eles descobriram, por exemplo, que existem milhares de vulcões inativos, montes e até uma cordilheira nas profundezas do oceano.

A maior profundidade já alcançada pelo homem foi de 11.000 metros, na Fossa das Marianas (Oceano Pacífico), onde a pressão da água equivale a 1 tonelada por centímetro quadrado. Cientistas da Dinamarca, Alemanha, Reino Unido e Japão encontraram microrganismos habitando o local. Na mesma região, a 8.000 metros de profundidade, foi achado um peixe de 15 centímetros, o Pseudoliparis swirei.

3. POR QUE AS VACAS COMEM VOLTADAS À DIREÇÃO DOS POLOS?

Você já deve ter visto um rebanho se alimentando, mas talvez não tenha notado que as vacas sempre comem voltadas à direção de um dos polos magnéticos da Terra.

Esse alinhamento dos bovinos foi analisado por imagens de satélites. Os cientistas chegaram à conclusão de que a maioria desses animais tende a alinhar seus corpos na direção norte-sul. Essa descoberta surpreendente desafia os pesquisadores, porque ela só será confirmada quando eles acharem a tal bússola fisiológica desses bichos, o que ainda não aconteceu. Naturalmente, esse comportamento levanta a questão: Será que os seres humanos também são influenciados magneticamente?

4 . COMO DESCREVER TODOS OS NÚMEROS PRIMOS?

Números primos são aqueles que só são divisíveis por 1 e por si mesmos. O número 5, por exemplo, é primo. Já o 6 não é, pois é divisível também por 2 e por 3. A sequência de números primos (2, 3, 5, 7, 11, 13, 17, 19 …) sempre intrigou os cientistas, porque parece não ter lógica. Dizem que, se alguém soubesse descrever uma regra capaz de dizer quantos primos existem até certo número, conseguiríamos provar até grandes teorias sobre a origem do Universo. O alemão Georg Bernhard Riemann (1826–1866) acreditava ter descoberto uma fórmula para descrever a distribuição dos primos. Essa fórmula já foi testada para o primeiro 1,5 bilhão de números e está correta, mas nunca foi provado que é verdadeira para todos os números. Foi o mais perto que chegamos de uma resposta. Estudiosos acreditam que há uma conexão da matemática com a realidade física nesse caso, já que há uma coincidência entre a fórmula de Riemann para os primos e outras fórmulas que cientistas usavam para descrever alguns sistemas da física regidos pela teoria do caos. Por isso, talvez quando a hipótese de Riemann for provada, algumas teorias sobre o Universo sejam esclarecidas.

5. POR QUE NÃO CONSEGUIMOS PREVER O MOVIMENTO DAS PLACAS TECTÔNICAS?

Embaixo do solo, a Terra se apoia em pelo menos 16 grandes placas tectônicas, blocos de magma endurecido que se movem lentamente. Espalhados pelo planeta, cada um deles passeia a uma velocidade própria e em determinada direção.

Nesse vaivém, é comum que elas se choquem e provoquem grandes catástrofes naturais, como terremotos, tsunamis e erupções vulcânicas. Bom, sabemos que isso acontece no interior do planeta, mas os cientistas nunca conseguiram prever quando a movimentação pode acontecer. Esses choques ocorrem pela liberação repentina de grande tensão na crosta terrestre que vai se acumulando gradualmente devido aos movimentos das placas tectônicas, mas a ciência até hoje nunca conseguiu prever quando essa energia vai ser liberada.

6. DO QUE É FEITO O UNIVERSO?

Toda a matéria e energia do Universo estavam concentradas num único ponto extremamente pequeno, quente e denso. Essa região espalhou seu conteúdo por todas as direções com violência inimaginável e pronto: tivemos o Big Bang, a “explosão” que, de acordo com a maior parte dos cientistas, gerou a matéria, a energia, o tempo e o espaço.

O que era essa matéria? Como ela foi formada? O que existia antes do Big Bang? Isso nunca foi provado e há quem aponte problemas nessa visão da criação. Se o Big Bang foi realmente o início de tudo, uma região com temperatura infinita e densidade infinita, então as leis da física não se aplicariam a ele — o que é uma inconsistência, porque elas deveriam valer para qualquer momento do Universo. Por isso, alguns pesquisadores sugerem que o Big Bang seja parte de um ciclo, e não o real começo de tudo — mas tudo isso, obviamente, ainda precisa ser provado.