Interlagos, um dos circuitos preferidos dos pilotos

Fernando Alonso é conhecido como o “Príncipe das Astúrias”, em referência ao seu local de nascimento — Oviedo, na Espanha, é uma cidade localizada no Principado das Astúrias — e aos seus feitos no automobilismo. Não é para menos: além de conquistas diversas em outras categorias, ele chegou ao ápice da carreira de piloto ao se sagrar bicampeão mundial de Fórmula 1. Coincidentemente, suas duas conquistas foram comemoradas em Interlagos, prova que tem sido incluída na reta final da temporada. O circuito é, portanto, um dos seus favoritos.

Há vários elementos que contribuem para que o circuito localizado em São Paulo possua uma “aura” diferenciada, que faz com que essa etapa seja aguardada com ansiedade também por outros competidores. Um deles é a imprevisibilidade do clima: dificilmente, alguém poderá cravar um palpite sobre a ocorrência ou não de chuva. Alonso comenta sobre essa característica no vídeo abaixo:

Além disso, trata-se de uma pista com a presença de desníveis, o que aumenta o grau de desafio. Você sabia, por exemplo, que a reta oposta do circuito se encontra 58 metros abaixo da reta de largada? Esse fator, associado à orientação das curvas no sentido anti-horário, exige dos pilotos um esforço ainda maior e torna Interlagos uma pista que exige muita concentração do início ao fim das corridas.

Alonso deixa a Fórmula 1 em 2019 e seu legado para o esporte será uma grande inspiração para a nova geração representada por Lando Norris, Carlos Sainz e pelo brasileiro Sérgio Sette Câmara, piloto de testes da nossa parceira tecnológica McLaren.

Aqui no nosso canal Jornada Pelo Conhecimento, você pode conhecer exemplos de tecnologias que surgiram na Fórmula 1 e trouxeram benefícios para a sociedade em geral, como foi o caso dos pneus com ranhuras — tão úteis em provas como a de Interlagos — hoje empregados nos carros de passeio para evitar a aquaplanagem.