O fascinante mundo das nanopartículas

Elas não são visíveis aos olhos, mas possuem uma capacidade gigantesca. É assim que Alexander Hiroshi Kasama, engenheiro de materiais e pesquisador da Petrobras na área de Nanotecnologia, resume o poder das nanopartículas. “Elas podem melhorar o desempenho de uma cola, de uma tinta, de um óleo”, explica.

Um dos trabalhos desenvolvidos no Centro de Pesquisas, em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), é com uma resina epóxi com partículas nanoestruturadas, usada para o reparo de cascos de navios. Por meio dessa tecnologia, esse trabalho pode ser realizado em alto-mar, proporcionando muito mais eficiência e economia do ponto de vista da logística.

Nas palavras de Kasama:

Temos colegas nas plataformas que fazem as inspeções nos cascos. De posse dessas informações, podemos utilizar um sistema e simular a parte que está desgastada, corroída, no casco do navio. Depois, os nossos colegas engenheiros estruturais analisam o quanto precisariam de fibra de carbono e resina epóxi nanoestruturada para fazer a recomposição estrutural.

Por fim, Alexander explica que o grafeno, um derivado do carbono, é uma matéria-prima que pode ser muito importante para a criação de filtros mais eficientes, por exemplo. Esses filtros podem ser usados tanto em plataformas quanto em companhias de saneamento básico para separar água, óleo e sais.


Kasama é mais uma pessoa que busca no conhecimento a energia para realizar seu potencial e que, por isso, inspira muitas outras a seguir seus passos.