Etanol a partir de moléculas de açúcares

A engenheira química Aline Machado, do nosso Centro de Pesquisas, é uma das responsáveis pelos trabalhos com etanol de segunda geração, desenvolvido a partir do bagaço de cana. No vídeo, ela detalha sua pesquisa e conta um pouco mais sobre sua trajetória e o que motivou sua jornada pelo conhecimento.

“As pesquisas surgiram como uma demanda para diversificar o portfólio de produtos”, diz a especialista. “O bagaço de cana foi selecionado pela quantidade abundante disponível no Brasil e porque podemos produzir mais etanol sem aumentar a área agricultável.”

Produzir o etanol de segunda geração, no entanto, exigiu que nossos pesquisadores, entre eles químicos, bioquímicos e biólogos, trabalhassem na elaboração de uma levedura capaz de quebrar as moléculas de açúcares presentes no bagaço de cana. “Aí entrou o trabalho da engenharia genética”, explica.

Aline é um exemplo de pessoa que busca no conhecimento a energia para realizar seu potencial.

Like what you read? Give Petrobras a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.